Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Pelo menos 35 jornalistas foram assassinados no primeiro semestre de 2021

Genebra, 06 Jul (Inforpress) – Trinta e cinco jornalistas foram assassinados em 21 países nos primeiros seis meses do ano e grupos terroristas são responsáveis por quase um terço das vítimas, informou hoje a organização não-governamental Press Emblem Campaign.

A maior parte das vítimas foi atacada de forma intencional e quase metade das mortes ocorreram em zonas de conflito armado como Afeganistão, Burkina Faso, Nagorno-Karabakh, Gaza, Tigray ou áreas tribais no Paquistão e Somália.

O Afeganistão foi o país onde se registaram mais assassínios de jornalistas (cinco), seguido por México e Paquistão, com três vítimas cada um, segundo os dados da organização não-governamental.

“Quanto ao resto do ano, estamos particularmente preocupados com a situação dos ‘media’ no Afeganistão, e em particular com as mulheres jornalistas nesse país, devido à retirada das tropas da NATO”, afirmou o secretário-geral da organização, Blaise Lempen, em comunicado.

O número de jornalistas assassinados foi igual ao registado no mesmo período do ano passado e a organização não-governamental indicou que em 2020 o número total de vítimas foi de 92 em todo o mundo.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos