Pedrógão Grande: Cabo Verde está a mobilizar esforços para ajudar os portugueses a levantar e recomeçar a vida – ministro

 

Cidade da Praia, 21 Jun (Inforpress) – O Governo de Cabo Verde está a mobilizar esforços no sentido de ajudar a população portuguesa, em especial de Pedrógão Grande, a levantar para recomeçar a vida, disse hoje o ministro da Presidência do Conselho de Ministros.

Fernando Elísio Freire fez estas declarações à imprensa, juntamente com outros membros do Governo, que se dirigiram à Embaixada de Portugal, na Cidade da Praia, para a assinatura do livro de condolências em memoria das vítimas no incêndio em Pedrógão Grande, Portugal, que fez pelo menos 64 mortos e 179 feridos.

“Neste momento, como sabem as palavras valem pouco. O que vale é, acima de tudo, a capacidade de estarmos todos juntos e focados em ajudar aqueles que ficaram com dificuldades”, disse, ressaltando que o Estado está a mobilizar para ajudar Portugal, “país irmão”, e que sempre esteve ao lado de Cabo Verde em todos os momentos.

Para o governante, o que aconteceu em Portugal transforma numa “dor que imobiliza” as pessoas, por isso, desejou “coragem” para recuperarem, levantarem e andarem, no sentido de vencerem as dificuldades.

“Cabo Verde está a sentir profundamente o que aconteceu, o que nós pedimos é, acima de tudo, que Deus dê coragem ao povo português, ao Governo português e a toda população portuguesa para enfrentarem e vencerem este momento tão difícil”, sublinhou.

Fernando Elísio Freire afirmou que Cabo Verde está “a fazer de tudo” para auxiliar Portugal nessa tragédia que, no momento já vitimou 64 pessoas. Lembrou, contudo, que o arquipélago não possui condições financeiras para poder concretizar outros tipos de acçoes, mas, salientou que estão a agir naquilo que podem.

“Estamos a actuar junto da nossa comunidade imigrada naquilo que pudermos fazer para ajudar (…), garantiu, acrescentado que, em nome do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e de todo o Governo de Cabo Verde, mandam um abraço de solidariedade ao povo português.

Instado se o país não tem conhecimento de algum cabo-verdiano que poderá estar entre os mortos, o governante respondeu que, até o momento, não receberam nenhum comunicado, mas informou que a Embaixada de Cabo Verde está a trabalhar neste sentido.

Na cerimónia estiveram presentes além do ministro dos Assuntos Parlamentares e Presidência do Conselho de Ministros e ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, os ministros da Administração Interna, Paulo Rocha, e da Saúde e Segurança Social, Arlindo do Rosário.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande provocou pelo menos 64 mortos e 179 feridos, segundo um balanço divulgado hoje.

O fogo começou na localidade de Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

De acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais, o incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta (equivalente a 26 mil campos de futebol).

AF/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos