Paul: Plano de actividades e orçamento para 2021 aprovados com votos a favor do MpD e UCID e abstenção do PAICV

Cidade das Pombas, 08 Jan (Inforpress) – O plano de actividades e o orçamento da Câmara Municipal do Paul para 2021 foram aprovados hoje com 8 votos favoráveis do MpD (partido que gere a Câmara) e da UCID (oposição), e cinco abstenções do PAICV (oposição).

Para o próximo ano económico, a edilidade vai gerir um orçamento de 315 mil contos, que, em termos comparativos, registou uma diminuição de 11 por cento (%), em relação ao de 2020.

Em declarações à imprensa, o líder da bancada do Movimento para a Democracia, Bartolomeu Ramos da Cruz, avançou que os eleitos do MpD votaram a favor, por entenderem que os dois instrumentos de gestão camarária vão contribuir para o desenvolvimento do Paul.

Acrescentou que o orçamento vai ao encontro daquilo que o município precisa, mormente as áreas transversais, agricultura, desporto, infra-estruturas, itens que têm maior peso no orçamento.

“Acredito que é um orçamento justo, muito bem feito, não obstante de ter diminuído 11 %, em relação ao orçamento de 2020, devido à crise pandémica que estamos a viver”, frisou Bartolomeu da Cruz.

Já o deputado da UCID, Jailson Fortes Brito, (oposição) acentuou que votou a favor do plano da actividade e orçamento com o objectivo de dar o “beneficio da dúvida à Câmara Municipal do Paul, tendo em conta que, com a aprovação do plano de actividade, não seria agradável a UCID votar contra o referido orçamento.

O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) votou abstenção, porque, conforme explicou o líder Nilton Delgado, o plano a ser executado seria óptimo para o concelho, mas a história diz que a edilidade e sua equipa nos anos anteriores “sequer” chegaram nos 50 % das realizações, tanto no plano como no orçamento.

“O plano tem várias actividades que não encontramos respaldo no orçamento. Só para dar um exemplo, tem uma série de actividades elencadas na área da agricultura, como sempre exigimos, mas depois vamos ao orçamento, encontramos um valor de 5 mil contos, o que é manifestamente pouco. Da mesma forma, o orçamente vai na mesma linha: a história nos diz que a taxa de execução dos orçamentos dos últimos três anos (2017, 2018 e 2019) e a taxa de realização dificilmente passou dos 50 %, de modo que achamos que esse orçamento deveria ser um pouco mais real”, salientou Nilton Delgado.

O presidente da Câmara Municipal do Paul, António Aleixo, por seu lado, fez um “balanço positivo” da sessão.
Segundo o edil, o PAICV votou abstenção o plano de actividades e orçamento porque sempre abstiveram em outras questões.

“É evidente que eles tinham que ter um argumento para justificar a razão pela qual não votam a favor (…) é visão deles que não é possível executar o plano, mas nós acreditamos que vamos mobilizar e sabemos que estamos num momento difícil, mas aquilo que já fizemos antes da pandemia, temos que ter um pensamento sempre positivo, não é por causa disso que íamos logo à partida fazer um orçamento que não iria espelhar aquilo que não é a realidade e anseios da população”, pontuou António Aleixo.

Salientou ainda que no plano e no orçamento a autarquia vai contemplar áreas como a juventude, habitação, desencravamento de localidades, iniciativas comerciais, ou seja, mobilizar iniciativas comerciais, empoderando pessoas no âmbito da agricultura e da pesca.

Tudo isso porque, segundo António Aleixo, acreditam que podem dar uma contribuição dessa forma para melhorar cada vez mais a vida das pessoas.

Segundo o autarca, estão contempladas no orçamento obras estruturantes, como a construção do campo de futebol e outras infra-estruturas desportivas, requalificação de estradas de desencravamento e orla marítima.

LFS/JMV

Inforpress/ Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos