Passagem dos jovens pela Forças Armadas é oportunidade de construir carreira militar – ministra

Mindelo, 08 Mai (Inforpress) – A ministra da Defesa Nacional disse hoje, em São Vicente, que a passagem dos jovens pelas Forças Armadas, além de cumprir um dispositivo constitucional, “é uma oportunidade” para construírem “uma carreira militar profícua, muitas vezes desconhecida pela sociedade”.

Janine Lélis falava durante a cerimónia de juramento à bandeira de 392 recrutas no Centro de Instrução Militar, Zeca Santos, no Morro Branco, em São Vicente.

Segundo a ministra de Estado, da Defesa Nacional e ministra da Coesão Social, “muito pouco” se sabe das oportunidades de capacitação e formação que os jovens dispõem ao entrarem para as fileiras das Forças Armadas.

A título de exemplo, citou, o recente concurso para o curso de oficiais dos quadros permanentes, através da cooperação técnica militar com Portugal, que confere o grau de mestrado em ciências militares.

Janine Lélis lembrou ainda de outras oportunidades de formação fruto da cooperação com outros países.

“Para o Brasil também temos muitas oportunidades, tanto no ramo da marinha, força aérea e exército. Com Moçambique formamos os nossos oficiais fuzileiros. Em Angola temos formado médicos, engenheiros de construção e fortificação, mecânica, aeronáutica etc. Com a China temos efectuado cursos para ingresso nos quadros permanentes”, elencou Janine Lélis para quem o cumprimento do serviço militar ainda “permite que a sociedade conheça melhor, através da vivência e experiência dos seus próprios filhos, como funcionam as Forças Armadas”.

A governante também aproveitou para informar que o Governo está a reformular e reforçar o Programa Soldado Cidadão.

Este programa, está sendo gizado para abranger cursos profissionais de capacitação por forma a permitir munir os jovens militares, de ferramentas que facilitem a sua inserção no mercado de trabalho e na vida civil, após a sua passagem à disponibilidade. Tudo isso, com o intuito de também contribuir para o desenvolvimento económico e social de Cabo Verde.

Conforme o director do Centro de Instrução Militar, Zeca Santos, José Manuel Paris Morais, durante dois meses de instrução, os 392 recrutas aprenderam a ordem unida, receberam treinamento militar, preparação física e receberam ainda formação sobre os valores para a cidadania, sobre os malefícios do uso de drogas e sobre o mau uso das redes sociais entre outros.

CD/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos