Partido Popular sugere ao director do HAN a solicitação de uma auditoria às contas do hospital

 

Cidade da Praia, 12 Nov (Inforpress) – O presidente do Partido Popular (PP), Amândio Vicente sugeriu hoje ao director do Hospital Agostinho Neto (HAN), a solicitação de uma auditoria às contas do hospital para se esclarecer os indícios de corrupção denunciados.

Em declarações à Inforpress no final do seu encontro semanal, Amândio Vicente disse estranhar a atitude do director Júlio Andrade, que no Jornal da Noite da TCV, do dia 06 de Novembro, ameaçou levar o PP ao tribunal na sequência das denúncias de suspeitas de corrupção e do desvio de dinheiro nesse estabelecimento hospitalar.

“Para nós se há indícios, se há suspeitas de corrupção nas contas do hospital, o mínimo que esse director devia fazer era solicitar uma auditoria externa porque quem gere o património público, quem gere o dinheiro público deve estar sempre disponível para prestar as contas”, disse.

Amândio Vicente esclareceu que a denúncia não é que a administração do HAN roubou o dinheiro, mas sim que há suspeitas de que houve desvio de dinheiro.

“As pessoas estão a falar, os trabalhadores do hospital estão a falar de que há mau uso do dinheiro do hospital e nós diante disso solicitamos que haja uma auditoria externa para clarificar essas denuncias”, salientou.

O presidente do PP acrescentou que a afirmação de Júlio Andrade segundo a qual “o hospital não movimenta dinheiro vivo” não corresponde a verdade já que, conforme frisou, o hospital tem dois tipos de rendimentos, designadamente as transferências correntes, via orçamento do Estado, e as receitas correntes arrecadas com as cobranças das taxas moderadoras, senhas de visitas, consultas suplementares, exames e serviços de urgência e internamento.

“Só no ano de 2015 esse montante foi de 171 mil contos. Então, dizer que o hospital não movimenta dinheiro vivo isso sim corresponde a uma anedota”, frisou.

Durante a reunião de hoje a direcção do Partido Popular voltou a abordar a questão do mau agrícola. Neste particular Amândio Vicente congratulou-se com a disponibilização por parte do Governo da linha de crédito para acudir os agricultores e criadores de gado.

Contudo, voltou a pedir maior agilidade na implementação das acções previstas no âmbito do plano de emergência para fazer face ao mau agrícola, uma vez que conforme adiantou as famílias no meio rural começaram já a passar por momentos difíceis.

“Os animais começaram a morrer e as pessoas começaram também a passar fome em Cabo Verde. Por isso queremos que haja acção imediata para utilização desse fundo que o Governo disse estar disponível para combater os efeitos do mau ano agrícola”, disse Amândio Barbosa Vicente.

Do encontro de hoje ficou decidido a realização da eleição concelhia do Tarrafal no próximo domingo.

MJB

Inforpress/fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos