Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Partido de Lula da Silva convoca para hoje manifestação de apoio em São Paulo

 

São Paulo, Brasil, 12 Jul (Inforpress) – O Partido dos Trabalhadores (PT) de São Paulo convocou para hoje à tarde uma manifestação de apoio ao ex-Presidente brasileiro Lula da Silva, horas depois de ele ter sido condenado a nove anos e meio de prisão.

“O Directório Municipal do PT – São Paulo convoca a militância petista a marcar presença no ato em solidariedade ao Lula [da Silva], que ocorrerá hoje, 12 de Julho, a partir das 17 horas (21:00 em Lisboa), no vão do Masp [Museu de Arte Moderna de São Paulo] da Avenida Paulista”, diz a convocação publicada na rede social Facebook.

O apelo para um protesto acompanha manifestações de outros políticos do PT, que declararam hoje publicamente apoio ao ex-Presidente condenado pelos crimes de branqueamento de capitais e corrupção passiva num dos processos da operação Lava Jato.

O senador Lindbergh Farias, líder do PT no Senado (câmara alta parlamentar), já havia dito em Brasília que o ex-Presidente sofreu uma perseguição política e pediu que os militantes do partido saíssem às ruas em defesa de Lula de Silva.

O ex-Presidente, ícone da esquerda brasileira, foi considerado culpado de ter recebido vantagens ilícitas da construtora OAS num processo que investiga a propriedade de um apartamento de luxo no Guarujá, cidade do litoral de São Paulo.

O juiz Sérgio Moro entendeu que Lula da Silva recebeu a propriedade deste apartamento como vantagem indevida para favorecer os interesses da OAS junto do Governo brasileiro.

Os advogados do ex-Presidente brasileiro ainda não se manifestaram sobre a sentença, mas desde o início do processo eles negam que o seu cliente seja proprietário do apartamento e têm alegado publicamente que este e os outros processos contra o ex-Presidente são fruto de uma perseguição judicial por parte do Ministério Público Federal e da Lava Jato.

Apesar da condenação, o juiz Sérgio Moro não pediu a prisão de Lula da Silva alegando agir com “prudência” para evitar “certos traumas”.

Assim, o ex-Presidente poderá recorrer da sentença em liberdade.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos