Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Parlamento reúne-se entre quinta e sexta-feira em sessão extraordinária para a fiscalização das políticas do Governo

Cidade da Praia, 15 Abr (Inforpress) – A Assembleia Nacional vai reunir-se entre quinta e sexta-feira em sessão extraordinária, e em sessão plenária, para a fiscalização das políticas do Governo, informou hoje a líder parlamentar do Movimento para Democracia (MpD, poder), Joana Rosa.

Em conferência de imprensa para fazer o balanço da jornada parlamentar, Joana Rosa adiantou que essa decisão saiu da conferência de representantes realizada esta segunda-feira, 13.

Joana Rosa considerou, no entanto, que o parlamento “não pode entrar em pagão” devido a situação por que passa o País e propôs a realização de sessões de mínimas.

Avançou que essa situação vem sendo debatida a nível da conferência dos representantes, que indicou a realização de sessões mínimas, uma vez que “não há condições” para que funcione na normalidade.

“Estando nós numa situação excepcional estamos a pedir a ponderação da própria oposição para criar um quadro de consenso para que possamos fazer o nosso trabalho “apelou a dirigente do MpD.

Acrescentou que na  conferência de representantes, a ser realizada esta tarde, o grupo parlamentar vai propor que a Assembleia Nacional adopte o sistema de videoconferência  para que a UCID (oposição) possa ter presença na próxima sessão.

“Há que haver acordo a nível da conferência de representantes para que possamos adaptar-noss ao momento actual, que é excepcional e exige uma adaptação do próprio parlamento”, sublinhou.

Joana Rosa considerou, no entanto, que o parlamento tem funcionado “na normalidade” porquanto, segundo ela, “não há nenhuma medida por tomar” que esteja depende da Assembleia Nacional e que os grupos parlamentares “têm vários mecanismos de fiscalização” política.

De entre esses mecanismos apontou as comissões especializadas, a reunião da comissão permanente e reunião dos representantes, que   são instrumentos que “não deixam vazar a ideia que o Parlamento está em apagão”.

OM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos