Parlamento: PAICV diz que Governo se esqueceu da importância do investimento na agricultura

Cidade da Praia, 10 Mar (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) disse hoje que o Governo se esqueceu da importância do investimento na agricultura, estabelecendo outras prioridades que não coincidem com os interesses dos homens do campo.

A intervenção foi feita pelo deputado do PAICV João Baptista Pereira, durante o discurso de abertura da sessão parlamentar da manhã de hoje, na abertura do debate com o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva.

Segundo apontou, foram “reduzidos os investimentos no campo”, houve “desestruturação”  dos serviços de extensão rural e “eliminados” os apoios e incentivos aos agricultores.

No entender do deputado maior partido da oposição, a gestão dos efeitos da seca foi” desastrosa”, fazendo perder “milhares de cabeças de gado”, provocando o “empobrecimento” de muitas famílias e a “destruição de uma economia que durou anos a ser estruturada e qualificada”.

“Todos estão lembrados da situação de impotência e de falta de soluções do ministro da Agricultura e Ambiente quando convidou os criadores a abaterem os seus animais para a redução de efetivos”, exprimiu.

Assinalou também que todos assistiram “o autêntico carnaval” de distribuição de vales- cheque, que “foram amontoados nas gavetas”, enquanto as crias eram “dizimadas pela fome, pela doença e até pela sede”.

Segundo o parlamentar, o Governo anterior “investiu fortemente” na construção de barragens e reservatórios, para o melhor aproveitamento possível das águas pluviais e superficiais, assim como investiu na dessalinização da água do mar, para o melhor abastecimento da população.

“A opção do MpD foi de abandonar as barragens, mesmo com água, de apoucar os outros projetos e de propor novas soluções”, sublinhou.

A propósito da água, afiançou João Baptista Pereira, para além da sua escassez para a rega, foi notado que na Cidade da Praia, por exemplo, “há uma grande penúria”  em vários bairros, onde os moradores “passam meses e meses sem ver uma gota de água”.

“Esta escassez é incompreensível na medida em que foram feitos, anteriormente, investimentos avultados na produção e na distribuição da água em quantidade suficiente para abastecer esta cidade”, referiu.

Por fim, revelou que no que ao ambiente o partido procurou vislumbrar na prática o que foi feito, mas, asseverou, aqui também, “parece que os investimentos foram adiados para o novo mandato”.

HR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos