Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Parlamento: PAICV classifica Programa do Governo de “vago” e “aquém das promessas de campanha”

Cidade da Praia, 11 Jun (Inforpress) – O líder Parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) considerou hoje que o Programa do Governo é “vago” e que “não explica que medidas serão adoptadas” para “combater os enormes desafios” do País.

João Baptista Pereira falava à imprensa, na Cidade da Praia, no balanço da jornada parlamentar de preparação para a primeira sessão plenária da VIII Legislatura, marcada para segunda-feira, 14, em que vai ser apresentado o Programa do Governo.

“Não contém muitos dos compromissos eleitorais assumidos nas últimas eleições e está desajustado com o contexto, não apresenta caminhos para o País sair da crise e não aponta caminho para o crescimento”, notou o dirigente do maior partido da oposição

Segundo João Baptista Pereira, o Programa do Governo “não explica as soluções” que serão adoptadas para os transportes aéreos em Cabo Verde, quando o País “continua numa situação de grave vulnerabilidade” em ligações domésticas, “com consequências gravosas” a nível das “economias locais”.

“Não consta também as reformas estruturais que o País precisa para reduzir o peso da máquina pública e libertar recursos financeiros para a economia, de modo a que possa haver uma justa distribuição de poderes entre as ilhas”, ajuntou João Baptista Pereira, considerando que este programa “está aquém das promessas” feitas durante a campanha eleitoral.

Para o líder parlamentar do PAICV, este Programa do Governo foi “repescar algumas ideias” do documento anterior e “coloca de lado os compromissos não cumpridos” em matéria de regionalização, despartidarização da administração pública e “dos tais aviões e barcos prometidos ao País”.

“Enfim, temos um programa ligeiro com um conjunto de enunciados e boas intenções, sem, contudo, apresentar metas claras do que os cabo-verdianos podem esperar para os próximos cinco anos de governação”, notou o líder parlamentar do PAICV.

No entanto, avançou que o sentido de voto do PAICV em relação à moção de confiança vai depender dos esclarecimentos que o Governo fornecer, das metas estabelecidas e dos compromissos assumidos com os cabo-verdianos.
OM/AA
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos