Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Parlamento: PAICV acusa Governo de descontinuar programas agrícolas e colocar sector em situação lamentável

Cidade da Praia, 28 Out (Inforpress) – A deputada do grupo parlamentar do PAICV Eva Ortet acusou hoje o Governo de ter descontinuado todos os programas que encontrou no sector da agricultura, quando assumiu a governação em 2016, deixando o sector numa situação “lamentável”.

Em reacção a uma declaração política do MpD, onde o partido regozija-se com a aprovação do programa de mitigação do mau ano agrícola, Eva Ortet afirmou que o Governo fala muito do país resiliente, mas que não fez nada que para tal acontecesse.

“Perguntamos que medidas concretas este Governo tomou para este tão propalado país resiliente, para além da solução de mãos estendidas à ajuda externa sempre quando há secas, pandemias ou desastres naturais”, questionou.

A deputada do principal partido da oposição questionou ainda que reformas foram feitas para o desenvolvimento e modernização da agricultura e para a unificação do mercado nacional.

“Houve foi a desconstrução total de todos os programas que encontrou, num claro retrocesso neste sector. O governo governou o sector da agricultura de costas voltadas para o mundo rural”, lamentou, indicando que apenas o programa de utilização das energias renováveis para bombagem de água foi continuado.

Na perspectiva da deputada do PAICV, que foi ministra de agricultura, hoje o sector padece de vários problemas, desde as dificuldades no acesso à água, que está com acesso limitado e mais cara, a problemas de transporte para escoamento dos produtos e à falta de assistência técnica.

“Hoje há mais pragas e é lamentável o estado em que se encontra a agricultura em Cabo Verde”, realçou.

A declaração da deputada Eva Ortet foi contestada pela deputada Lúcia Passos, do MpD, que disse que não é verdade que o Governo não investiu na modernização da agricultura e que descontinuou os programas agrícolas.  

“Nós estamos a viver quatro anos de seca e se hoje ainda temos água para agricultura significa que o Governo investiu sim a nível de produção de água para agricultura. Todos nós sabemos que o Governo está a investir, sobretudo, na questão de dessalinização”, disse apontando para o contrato assinado com a Hungria no montante de 35 milhões de euros para financiamento de projectos de mobilização de água.

“São os próprios agricultores que dizem que hoje fazem agricultura sem contar com a chuva porque sabem que o Governo investiu no aumento da produção de água e podem agora produzir independentemente da queda das chuvas”, acrescentou.

Já o deputado da UCID disse que o sector padece de vários problemas porque quer o Governo do PAICV, quer o Governo do MpD têm sido pouco eficientes e pouco eficazes na resolução dos problemas agrícolas e dos criadores de gado.

Ainda assim considerou que os 170 mil contos anunciados pelo Governo para mitigar mais um ano de seca, não sendo o valor ideal, já que muitas famílias dependem da agricultura e da criação de gado, poderá mitigar essa situação.

O deputado democrata cristão aproveitou para reiterar a necessidade de apostar num projecto de produção de pasto sustentado por forma a reduzir a dependência do país na queda das chuvas.

MJB/HF

Inforpress/fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos