Parlamento: Grupo Parlamentar do MpD adia debate sobre a regionalização para Outubro

Cidade da Praia, 20 Jun (Inforpress) – O debate sobre a regionalização, que deveria acontecer neste mês de Junho, foi adiado para Outubro próximo, informou hoje na cidade da Praia o vice-presidente da direcção da bancada parlamentar do MpD (situação), João Gomes.

João Gomes, que fazia, em conferência de imprensa, o balanço das jornadas parlamentares do Movimento para a Democracia (MpD), disse que o seu partido decidiu tirar este ponto da agenda para dar “mais uma oportunidade” ao Partido Africano da Independência de Cabo Verde – PAICV (oposição) de debruçar sobre o tema e não dizer que o partido que sustenta o governo quer discutir à força a regionalização e fugir das suas responsabilidades.

Este responsável partidário disse ainda que o seu grupo parlamentar “estranha” o conteúdo da conferência de imprensa do PAICV na semana passada, em que aquele partido acusa o Governo do MpD de “impor pela força bruta”, o agendamento do debate sobre a regionalização sem qualquer negociação prévia ou tentativa de aproximação das posições.

O maior partido da oposição afirmou ainda que o partido da situação “quer fazer passar a ideia de que o PAICV é contra a regionalização para se desfazer impunemente de um dos seus compromissos de campanha eleitoral” e que “agindo desta forma o MpD e o Governo comprovam claramente que não estão interessados na Regionalização”.

“Para o MpD o fundamental é que Cabo Verde venha a ter regionalização administrativa. É fundamental que a lei seja aprovada”, prosseguiu João Gomes para quem é “falsa questão” dizer que o MpD não quer a regionalização.

João Gomes referiu ainda que, depois que Ulisses Correia e Silva assumiu a liderança do MpD, em 2013, a regionalização tem sido “uma das principais bandeiras do partido”. Disse que, aliás, “em 2014 o partido elaborou um anteprojecto daquilo que poderia ser um plano de documento de criação de regiões administrativas, onde definiu desde a primeira hora que o objectivo do MpD seria criar cada ilha uma região”.

“A regionalização não é um capricho. É sim uma reforma do Estado que o Governo e o MpD querem ver implementados (…) não foi uma mera promessa, foi um compromisso de campanha assumido porque está convicto que a regionalização virá trazer ganhos a Cabo Verde e à sociedade cabo-verdiana”, esclareceu.

E para demonstrar que o MpD quer, efectivamente, a regionalização e “porque é uma matéria que carece de dois terços para a sua aprovação na Assembleia Nacional”, ajuntou João Gomes, o grupo parlamentar do MpD, em concertação com o primeiro-ministro, decidiu suspender a discussão deste diploma para Outubro.

GSF/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos