Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Parlamento aprova Orçamento de Estado para 2020 com votos favoráveis do MpD e contra de toda a oposição (c/áudio)

Cidade da Praia, 29 Nov. (Inforpress) – A Assembleia Nacional de Cabo Verde (parlamento) aprovou hoje, na generalidade, o Orçamento de Estado (OE) para 2020, com 36 votos favoráveis do Movimento para Democracia (MpD – poder) e 26 votos contra da oposição (PAICV-23 e UCID-03).

O deputado Armindo Luz disse, em declaração de voto, que a bancada do MpD votou a favor da aprovação do OE por ser “um orçamento que vai ao encontro de um Cabo Verde melhor para todos” e que será, em seu entender, um Cabo Verde “desenvolvido e confiável, moderno e inclusivo, democrático e seguro, aberto ao mundo, previsível e transparente”.

“Enquanto o PAICV mantém o orgulho no ‘assistencialismo’, o Governo reforça as reformas estruturais para criar mais oportunidades para todos os cabo-verdianos”, disse Armindo Luz, explicando que, para isso, o Governo investe na “formação e qualificação da mão-de-obra, na operacionalização da agenda de promoção das pequenas e médias empresas e na diversificação da economia”.

Aquele parlamentar disse que a bancada do MpD votou a favor por se tratar de um orçamento que possibilita “a formação e estágios profissionais para mais de 10 mil jovens” e porque “o Governo está a cumprir, de forma planeada e consertada”, com a implementação de acções que beneficiam vários sectores sociais e profissionais.

Armindo Luz destacou as principais vantagens que, em seu entender, o OE para 2020 apresenta e que recomendaram o voto favorável do partido que sustenta o Governo.

Opinião contrária têm os dois partidos da oposição que, por isso, votaram contra.

O deputado Julião Varela, do PAICV, considerou que, com este OE, “o Governo não deu sinais de querer cumprir os compromissos eleitorais” e continua “a apostar em falsas promessas e compromissos vazios”.

“Com este orçamento, confirma-se que o MpD falhou com todos os compromissos eleitorais e enganou os cabo-verdianos”, afirmou Julião Varela, considerando que “o MpD preferiu governar numa navegação à vista, fora da costa, sem rumo e sem direcção”.

No entender de Julião Varela, este OE “foge para bem longe dos compromissos firmados, o que representa uma grande deslealdade e traição aos cabo-verdianos”, já que “abandona a meta de fazer crescer a economia à média de 07 por cento (%) ao ano, não repõe um centavo ao poder de compra dos trabalhadores, em cinco anos”, entre outras razões que, segundo aquele parlamentar, justificam o voto desfavorável da sua bancada.

O deputado tambarina enumera vários outros defeitos de que padece, em seu entender, o OE para 2020 e que, conforme disse, justifica o voto desfavorável da bancada do maior partido da oposição.

Já o deputado João Santos Luís disse que os deputados da UCID votaram contra porque o Governo “falhou” em duas das principais promessas da legislatura, nomeadamente, “o crescimento médio da economia em 07% e a criação de 45 mil empregos”.

“É um OE eleitoralista, despesista, que contempla 600 milhões de escudos para deslocação e estada dos membros do Governo”, afirmou Santos Luís, acusando o Governo de “deixar de equacionar e resolver vários problemas sociais e ambientais graves que o país ainda enfrenta”.

A sessão terminou já noite dentro.

O Orçamento privativo da Assembleia Nacional foi, igualmente aprovado, com 36 votos favoráveis do MpD e a abstenção do PAICV e da UCID.

HF/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos