Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Parlamento Aberto: Deputados da Comissão Especializada Ambiente e Ordenamento do Território  visitam CERMI

Cidade da Praia, 12 Mar (Inforpress) –  Os deputados da Comissão Especializada de Economia, Ambiente e Ordenamento do Território  foram hoje ao Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), uma visita que se inscreve no quadro do chamado ‘Parlamento Aberto’.

“Esta é uma visita que se enquadra dentro do perfil [do parlamento aberto] que queremos assumir, no sentido de irmos ao encontro da sociedade, das instituições e das pessoas”, precisou o presidente da comissão, Luís Carlos Silva, acrescentando que durante esta semana pretendem fazer o ‘Open Parlament’ (Parlamento Aberto), com o ambiente no centro das atenções.

Segundo ele, visitaram o CERMI tendo em conta que, enquanto instituição das energias renováveis, é um “braço da estratégia do sector do ambiente em Cabo Verde”.

A estratégia, disse,   é a de “promover a transição energética e promover a penetração das energias renováveis”.

“Estamos a cumprir uma agenda voltada para o ambiente e, por isso, estamos aqui para conhecer os projectos em andamento no CERMI”, pontuou o deputado.

Luís Carlos Silva adiantou ainda que Cabo Verde está a dar “passos firmes” rumo a uma “maior penetração” das energias renováveis, e o objectivo, disse, é que, em 2050, o País atinja 50 por cento (%) de penetração.

Referindo-se ainda ao CERMI, destacou a componente formativa da instituição que “está a ganhar velocidade”.

“O CERMI está a criar um novo perfil de emprego  que  está a abrir portas aos jovens para empregos relacionados  com as energias renováveis e, também, tem aberto portas para a internacionalização das empresas cabo-verdianas”, sublinhou o parlamentar.

Por sua vez, o presidente do conselho de administração do CERMI, Luís Teixeira,  em declarações à imprensa, assegurou que a instituição já “ganhou o desafio da formação profissional”, passando de 60 para 600 jovens.

“Estamos num processo de regionalização e internacionalização e estamos  num processo de criação de oportunidades a nível da empregabilidade”, lançou o primeiro responsável  do Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial, acrescentando que o principal desafio é levar o CERMI para a Comunidade Económica de Países da África Ocidental (CEDEAO).

LC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos