Parceiros disponíveis para apoiar a 2ª fase do programa “plataformas para desenvolvimento local e objectivos 20/30

Cidade da Praia, 28 Jun (Inforpress) – Os parceiros internacionais que estiveram envolvidos na implementação do programa “Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos 20/30 em Cabo Verde” estão disponíveis para apoiar o Governo na implementação da 2ª fase do programa.

Esta garantia foi dada hoje na última reunião do Comité de Pilotagem, realizada na cidade da Praia, e que marcou o encerramento do programa financiado pelo Grão-Ducado de Luxemburgo e implementado pelo Governo, com apoio técnico do PNUD.

Da parte do Governo do Grão-Ducado de Luxemburgo, o encarregado de Negócios do Governo de Luxemburgo, Thomas Barbancey, considera de relevo a continuidade do programa no sentido de maximizar o know How disponibilizado.

“Parece-nos importante assegurar que as formações se mantêm e que novos funcionários continuam a beneficiar-se delas. Importa, sobretudo, que o conhecimento gerado seja transmitido ao longo do tempo e que as câmaras se mantenham preparadas para responder às necessidades dos munícipes”, disse.

Thomas Barbancey reiterou o engajamento do país em continuar a cooperar com Governo para desenvolvimento inclusivo e sustentável de Cabo Verde, com foco na redução da pobreza e das desigualdades.

Da parte do PNUD, que apoiou tecnicamente a implementação do programa, também o representante, Steven Ursino, garantiu a disponibilidade em continuar a colaborar com o Governo por forma a capitalizar esta experiência para consolidar o processo de descentralização e acelerar o desenvolvimento sustentável de Cabo Verde.

Steven Ursino salientou que o escritório conjunto do PNUD – UNFPA – UNICEF já teve a oportunidade de experimentar a eficácia destes mecanismos implementados, por exemplo, no quadro do fundo de resposta rápida à pandemia.

“No prazo de menos de seis meses, as plataformas locais conseguiram formular e executar oito projectos, contribuindo assim para a redução dos efeitos económicos e sociais da pandemia nos oito municípios contemplados. Isto só foi possível porque já existia um portfólio de projectos dentro do Plano Estratégico Municipal de Desenvolvimento Sustentável (PEMDS) e também técnicos, devidamente capacitados para formular e implementar projectos e um quadro de concertação já operacional”, sustentou.

O programa Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos 20/30 em Cabo Verde foi financiado pelo Grão-Ducado de Luxemburgo no montante de 3,2 milhões de euros por um período de quatro anos 2017-2011), tendo sido prolongado por seis meses até Junho de 2022.

Tendo em conta o papel que este programa teve no desenvolvimento das localidades em Cabo Verde, tendo considerado um sucesso, o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, anunciou a sua continuidade como exemplo de boa prática.

De acordo com o relatório das actividades, o programa deu ainda um enfoque particular no reforço das capacidades dos diferentes actores locais e de entre os resultados destacam-se 127 sessões de formação realizadas nos diferentes municípios, beneficiando cerca de 1.900 líderes, técnicos e outros actores locais dos quais 43% foram mulheres.

Foram identificados e realizados quatro projectos regionais nos sectores do turismo, agronegócios, ambiente, saúde e serviços públicos regionais beneficiando directamente 1.203 pessoas das ilhas do Fogo, Brava e Santo Antão.

Com o programa, indicou o relatório, procurou-se reforçar as capacidades dos actores locais, tendo em vista uma maior articulação e coordenação dos mesmos, uma melhor planificação estratégica e um maior desenvolvimento económico local.

MJB/JMV
Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos