Para se falar bem a língua portuguesa há que haver um investimento – Directora Colégio Letrinhas (c/áudio)

Espargos, 05 Mai (Inforpress) – A administradora do Colégio Letrinhas, na ilha do Sal, Sílvia Sousa, asseverou hoje que para se falar bem a língua portuguesa há que haver um investimento e continuar a estimular o uso do português.

Sílvia Sousa fez essas considerações no âmbito das celebrações do Dia Mundial da Língua Portuguesa, assinalada anualmente a 05 de Maio.

“Há que se falar, porque só através da prática é que se conseguem melhores resultados, ler e há que se conseguir o equilíbrio e o respeito pelas duas línguas”, enfatizou.

Ao falar da importância da língua portuguesa, o quinto idioma mais falado em todo o mundo, a mesma fonte sublinhou, entretanto, que o Colégio Letrinhas defende o uso das duas línguas, isto é, tanto a língua crioula, a cabo-verdiana, como a portuguesa.

“Porque pensamos que elas não se excluem, mas complementam-se. Se o crioulo é a língua materna, e é através do crioulo que se pensa e que se sente, o português não deixa de ser importante porque é aquele que nos dá abertura para o mundo, pelo menos por enquanto”, comentou.

Observou, neste sentido, que é “extremamente importante” continuar a estimular o uso do português e não o politizar.

“Porque muitas vezes a politização que tem sido feita à língua faz com que, sobretudo os jovens que são mais influenciáveis, acabem por criar alguma rejeição ao português”, analisou Sílvia Sousa, parafraseando Amílcar Cabral dizendo que a “língua portuguesa nada mais é do que um instrumento de comunicação e por isso devemos estimá-lo”.

“Não serão essas as palavras do Amílcar, mas andam por aí. E eu julgo que nós deveríamos levar esse ensinamento muito a sério. Porque ao falarmos menos bem uma língua estrangeira, costumo dizer que não querendo o português então podemos fazer essa substituição pelo inglês, por exemplo, porque precisamos de uma língua que nos dê abertura sobre ao mundo”, considerou.

“Nós não somos um País isolado que tem esta situação. Muitos países na Europa têm mais do que uma língua, e o inglês é uma língua muito bem falada, até porque não é a língua do próprio país que muitas vezes dá acesso à universidade, mas o inglês… e em Cabo Verde deveria acontecer um pouco isto”, instigou, a também docente.

No seu entendimento, a politização que tem sido feita, e alguma interpretação errónea, tem levado a fazer com que os jovens resistam a falar correctamente a língua portuguesa.

“E para se falar bem a língua portuguesa há que haver um investimento”, reiterou.

O Dia Mundial da Língua Portuguesa e da Cultura foi criado pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa a 20 de Julho de 2009, por resolução da XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, decorrida na cidade da Praia, Cabo Verde.

O português é o quinto idioma mais falado em todo o mundo, por aproximadamente 265 milhões de pessoas, que também ocupa o terceiro lugar no hemisfério ocidental e é o mais falado no hemisfério Sul.

SC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos