Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Papa lamenta ataque no Burkina Faso e lembra que “África precisa de paz”

Cidade do Vaticano, 06 Jun (Inforpress) – O papa Francisco lamentou hoje o ataque no Burkina Faso, que matou mais de 100 pessoas, notando que “África precisa de paz e não de violência”.

“Transmito a minha proximidade à família e a todas as pessoas que sofrem muito com estes contínuos ataques. A África precisa de paz e não de violência”, afirmou Francisco, após a oração do Angelus.

Pelo menos cem civis foram mortos no norte de Burkina Faso, em Solhan, entre sexta-feira e sábado, o ataque mais mortal registado neste país desde o início da violência ‘jihadista’ em 2015, informaram fontes de segurança e locais.

“Entre a noite de sexta-feira e a madrugada de hoje [sábado], indivíduos armados realizaram um ataque mortal em Solhan, na província de Yagha. O balanço, ainda provisório, é de pelo menos cem mortos, homens e mulheres”, disse, na altura, à agência de notícias AFP uma fonte de segurança.

O ataque e o número de mortos foram confirmados pelo Governo.

O chefe da Igreja Católica pediu ainda aos religiosos e políticos que colaborem para esclarecer o que aconteceu no Canadá, referindo-se à descoberta de uma vala comum com restos mortais de crianças indígenas junto a um antigo internato na província de British Colúmbia.

“Uno-me aos bispos canadenses e a toda a Igreja Católica no Canadá para expressar a minha proximidade ao povo canadense traumatizado pela notícia chocante. A descoberta aumenta a consciência da dor e do sofrimento do passado. Que as autoridades políticas e religiosas do Canadá continuem a colaborar com determinação para lançar luz sobre aquele triste acontecimento”, afirmou Francisco.

O papa notou ainda que “estes momentos difíceis” constituem também um apelo ao afastamento do modelo colonizador e ao diálogo “no respeito recíproco, reconhecimento dos direitos e do valor cultural”.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos