Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Países africanos levantam sanções contra 19 cidadãos da Guiné Bissau – Presidente

Bissau, 01 Ago (Inforpress) – Os líderes da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) levantaram as sanções impostas contra 19 personalidades guineenses, entre políticos, magistrados e o filho do chefe do Estado, informou o Presidente do país, José Mário Vaz.

Em declarações aos jornalistas, à chegada a Bissau, vindo do Togo, onde participou em mais uma cimeira de líderes da CEDEAO, José Mário Vaz afirmou que a organização decidiu levantar as sanções, na sequência dos consensos que têm sido alcançados ultimamente pela classe política.

O Presidente da Guiné-Bissau anunciou que “já não há mais ninguém sancionado”, depois de um trabalho que considerou “duro e difícil” para convencer os seus pares da organização sub-regional africana a levantarem o castigo.

No passado mês de Fevereiro, a CEDEAO aplicou sanções, restrições de viagens e congelamento de contas bancárias, a 19 personalidades guineenses, acusadas de dificultarem a resolução do impasse político que vigorou no país durante três anos.

Aquelas personalidades sempre contestaram as sanções que consideravam injustas.

O Presidente guineense considerou que o país “voltou a ter uma outra imagem”, mas defendeu ser fundamental “arregaçar as mangas”, trabalhar e “fazer da Guiné-Bissau um bom país”.

A meta agora é preparar o país para, no dia 18 de Novembro, organizar eleições legislativas, escolher novos deputados ao parlamento, para desta forma, criar um Governo saído das urnas, defendeu José Mário Vaz.

Ainda segundo o líder guineense, duas organizações da sub-região prometeram cobrir parte do orçamento que falta para pagar as despesas com as eleições de Novembro.

A CEDEAO anunciou a ajuda de 1,5 milhões de dólares (cerca de 1,2 mil euros) e a União Económica e Monetária da África Ocidental (UEMOA) de um milhão (cerca de 855 mil euros).

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos