Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

PAICV quer que recursos do Orçamento Rectificativo sejam canalizados aos municípios

Cidade da Praia, 20 Jul. (Inforpress) – O Grupo Parlamentar do PAICV (oposição) quer que os recursos provenientes do Orçamento Rectificativo para 2021 sejam canalizados para o Fundo do Financiamento Municipal, para que sejam retomadas as obras municipais e de requalificação no País.

O líder parlamentar do PAICV, João Baptista Pereira, manifestou este desejo à imprensa, no final da visita à Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV), onde auscultou a preocupação em relação a um conjunto de obras municipais “paradas” e de requalificação urbana como desencravamento, essencialmente às habitações por iniciar, face a chegada da época das chuvas.

João Baptista Pereira justificou que a proposta de aumentar o Fundo de Financiamento Municipal visa colocar os recursos nos municípios, por ser o poder mais perto das pessoas e que melhor compreende as suas preocupações.

“O PAICV sempre entendeu que nós deveríamos alterar o Fundo do Financiamento Municipal. Esta é a nossa proposta, apresentamos um projecto-lei ao Parlamento neste sentido, que nunca foi debatido. O Governo não estava disponível para este aumento e entendeu avançar com financiamento no âmbito do projecto PRAA”, explicitou Baptista Pereira.

Na óptica do maior partido da oposição, ainda que o financiamento por programa e projectos dos munícipes continuem, é preciso reforçar a capacidade financeira dos municípios, que a seu ver, só é possível através do aumento do Fundo do Financiamento Municipal.

Isto por considerar que este acréscimo dará aos municípios o direito próprio de ceder a estes recursos e de poderem aumentar a sua capacidade de acção, independentemente da do Executivo.

O PAICV considerou, nestes contactos de preparação para as próximas jornadas parlamentares, importante chamar a atenção do Governo, no sentido do recurso ao financiamento interno para financiar o Orçamento Rectificativo para 2021 ser feito “num quadro transparente e com definições claras quanto às prioridades”.

A proposta do Orçamento Rectificativo para 2021 está orçada em 78 milhões de escudos com um acréscimo na ordem de 0,1% na dotação inscrita na estimativa ainda em vigor

Os 78 mil milhões de escudos representam despesas e receitas, incluindo endividamento, sendo o financiamento mobilizado, com recurso à dívida para financiar o Orçamento Rectificativo de 23 mil milhões de escudos (líquido), com o Governo a estimar “stock” equivalente a 158,6% do Produto Interno Bruto (PIB) até finais de 2021.

SR/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos