PAICV e ACOLP promovem encontro de gerações para assinalar 42 anos da Independência de Cabo Verde

 

Assomada, 05 Jul (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), em parceria com a Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP) comemorou hoje, em Santa Catarina, os 42 anos da Independência de Cabo Verde com um encontro de gerações.

Segundo o presidente da Comissão Política do PAICV em Santiago Norte, António Fernandes, não é por acaso que escolheram o concelho de Santa Catarina, para acolher este diálogo de gerações, pois, “foi precisamente aqui, que o fundador da nacionalidade cabo-verdiana, Amílcar Cabral, viveu durante bastante tempo”.

Conforme sublinhou o responsável, com este diálogo é um momento de os combatentes partilharem as suas vivências de luta e de construção da nação que se ergueu a partir de 05 de Julho de 1975, mas também é uma oportunidade de os jovens fazerem a ponte com o futuro, porque “eles têm uma missão de dar continuidade à obra e do legado de Amílcar Cabral”.

Presente neste encontro esteve um grupo de combatentes da liberdade da pátria, entre eles a Djeni Vera Cruz que recontou a história da luta pela independência do país e ainda falou dos ganhos que Cabo Verde teve no pôs independência.

“Antes da independência tínhamos um Cabo Verde dominado pelo regime colonial, onde a população sofria horrores, (…) tinha miséria e fome, mas após a independência a situação mudou pouco a pouco e hoje, temos um Cabo Verde muito mais desenvolvido, temos liberdade de expressão e um desenvolvimento inesperado “, disse.

Aos jovens, Djeni Vera Cruz pediu que criem os seus próprios objectivos de luta para “manter a liberdade e dignidade como cabo-verdiano” e que lutem para que o país tenha emprego, segurança, e tenha um desenvolvimento contínuo e harmonioso.

Representando a geração pôs independência, Moisés Borges, um dos palestrastes, considerou que os jovens têm uma “grande dívida” para com aqueles que lutaram para a independência do país, pois, isto permitiu a libertação do povo e a autodeterminação do destino do país.

“Temos de agradecer profundamente as gerações de Amílcar Cabral, Pedro Pires e Aristides Pereira, entre vários outros, que juntaram por essa causa para permitir-nos hoje, estar livre e tranquilo na nossa terra e permitiu-nos avançar e estudar, factor que era um dos maiores sonhos de Amílcar Cabral, o progresso da nossa terra”, afirmou.

Segundo Moisés Borges, enquanto jovens que vão continuar a construção desse país, deparam   hoje em dia com novas bandeiras que devem ser carregadas, como luta contra a pobreza, luta contra a descriminação para a igualdade de género, conservação ambiental e para a conservação do património cultural.

O encontro de gerações teve ainda comunicações de Adélcia Pires, Osvaldo Lopes da Silva, e Henrique Varela.

O acto comemorativo que teve lugar na Escola Técnica Grão Duque Henri, contou com a presença da presidente do partido, Janira Hopffer Almada, membros do partido, combatentes da liberdade da pátria, entre outras entidades convidadas.

AM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos