Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

PAICV duvida dos resultados do CENSO’2021 e pede explicações que justifiquem a redução da população

Cidade da Praia, 06 Set (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) apresentou hoje dúvidas quanto aos resultados do CENSO’2021, que apontam para redução da população cabo-verdiana, e pediu ao INE que apresente mais informações que justifiquem essa redução.

Em conferência de imprensa hoje, na Cidade da Praia, o membro da Comissão Política Nacional António Fernandes afirmou que os resultados do CENSO’2021 revelaram um conjunto de alterações contra todas as projecções, não só das instituições parcerias, como também do próprio Instituto Nacional de Estatística (INE), entidade responsável pela produção de estatísticas oficiais.

“Alterações estranhas e históricas no Cabo Verde independente. Ao que se sabe de 2010 a 2020, à primeira vista não se vislumbra qualquer mudança significativa das circunstâncias económicas, políticas e outras que estão conduzindo essa redução da população residente”, sustentou.

António Fernandes indicou que o PAICV tem notado algumas inquietações da parte dos   analistas, dos utilizadores recorrentes dos dados, e de alguns órgãos de comunicação social, que inclusive têm provocado incómodos junto do próprio INE.

“Esta situação é visível na reação do INE do dia 03 de Agosto dado à estampa na sua própria página oficial. O teor da reação deixa evidenciar contornos que podem ser entendidos como uma tentação de desvio daquilo que deve nortear a missão da instituição, mas também apontam para riscos que podem levar ao descrédito de publicações futuras se consideradas como publicações reactivas”, disse.

O representante do PAICV realçou ainda que já na apresentação dos dados preliminares o INE “cometeu erros” ao apontar algumas das hipotéticas causas para redução da população, entre as quais “a mortalidade por causas violentas e/ou saída de jovens para o exterior para a procura de trabalho”.

“As análises mostram que aquilo que é fluxo migratório, por si só, não justifica a questão da redução”, sublinhou.

António Fernandes adiantou ainda que há evidências que não podem ser “escamoteadas” se se pretende corrigir as falhas e trabalhar no sentido da credibilização da instituição com responsabilidade de produzir dados fiáveis e seguros a nível nacional.

“Fazendo fé nos resultados provisórios do Recenseamento geral da População e Habitação de 2021 Cabo Verde corre o risco de antes de atingir a oportunidade demográfica entrar em crise demográfica. Uma situação inédita na história do país e estranha no contexto mundial, se compararmos com os outros países no mesmo estádio de desenvolvimento”, sustentou.

E porque os resultados apresentados “vieram na contra-mão de todas as projecções demográficas”, António Fernandes questiona se se vai repetir a operação à semelhança do que aconteceu, por exemplo na Rússia, em 1935-1937.

“E se se sim, que responsabilidades serão assacadas. Afinal avultados recursos financeiros foram aplicados e houve um envolvimento, sem precedente, de recursos humanos de fora do quadro do INE”, realçou, adiantando que o PAICV espera sejam assacadas as responsabilidades.

Para já, indicou que o INE deve focar em disponibilizar mais informações a respeito dos dados apresentados para ajudar a sociedade a entender as verdadeiras razões da diminuição de população.

De acordo com dados preliminares publicados pelo INE, no dia 05 de Agosto, houve uma redução da população na ordem de 1,6%, tendo passado dos 491.683 em 2010 para 483.628 residentes em 2021.

MJB/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos