Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

PAICV considera “muito grave” as declarações do ministro das Finanças sobre salário dos trabalhadores da CV Airlines  (c/áudio)

Cidade da Praia, 14 Fev (Inforpress) – A presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) considerou hoje ser “muito grave” o ministro das Finanças afirmar que não sabia que a ASA tem assumido os salários dos trabalhadores da CV Airlines.

“A Cabo Verde Airlines é mais um caso demonstrativo da governação inconsistente e intransparente do Movimento para a Democracia (MpD, poder) e da privatização lesiva dos interesses de Cabo Verde”, constatou Janira Hopffer Almada.

A líder do maior partido da oposição, que falava em conferência de imprensa, na cidade da Praia, para reagir às declarações do vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, sobre o atraso no pagamento dos salários, afirmou que o objectivo do executivo em apresentar a sua perspectiva de privatização das empresas públicas era reduzir o risco orçamental e fiscal.

“Ontem aconteceu algo muito grave. O ministro das Finanças e vice-primeiro-ministro ao ser confrontado pelos jornalistas com o facto veiculado na comunicação social, que os funcionários da Cabo Verde Airlines estariam a receber salários pagos pela ASA (Aeroportos e Segurança Aérea), assumiu que desconhecia este facto”, lembrou, realçando que isso é “gravíssimo”.

Para a dirigente do PAICV, tudo isso demonstra que as preocupações do seu partido “tinham razão de ser”.

“Este é um facto, ninguém conhece e sabe a verdadeira situação financeira e económica da CV Airlines”, declarou, acrescentando que as “contas não são apresentadas desde a privatização dos TACV” e não se conhece os custos da reestruturação.

Conforme observou, o Estado, ou seja, “os cabo-verdianos”, continua a financiar a empresa num processo “intransparente e ao arrepio de todas as leis da República”.

“E para agravar a situação, sabe-se através da comunicação social que a CV Airlines pretende contrair mais dívidas de longo prazo e que o Governo pode vir a ser, mais uma vez, o avalista”, observou.

Janira Hopffer Almada interrogou que se o Governo desconhece o facto de os salários poderem estar a ser assegurados pela ASA, como se pode continuar a avalizar os empréstimos da CV Airlines.

“A gravidade deste caso obriga que o chefe do Governo e o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, informe o parlamento e o País sobre a real situação da CV Airlines”, enfatizou.

WM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos