Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

PAICV “aberto” para negociar aumento do limite do tecto da dívida interna

Cidade da Praia, 18 Nov (Inforpress) – O PAICV mostrou-se aberto para discutir com o Governo o aumento do limite do tecto da dívida interna como um factor condicionante do aumento do IVA e para a construção de entendimentos que sirvam os interesses do País.

Esta posição foi manifestada hoje aos jornalista pelo presidente interino do Partido Africano da Independencia de Cabo Verde (PAICV – oposição), Rui Semedo, no fim de uma audiência com o com o Presidente da República (PR), José Maria Neves, sobre a situação económica e social do país e o Orçamento Geral do Estado para o ano económico 2022.

Conforme o presidente interino do PAICV, o partido manifestou ao PR abertura para um diálogo profundo que exige ao Governo todas as informações do quadro orçamental, sobre a dívida, sobre os dossiers importantes, como transportes e outros que estão em cima da mesa, assim como as propostas que tem e os compromissos que quer assumir para poder colaborar na melhor solução.

Neste aspecto, sublinhou que o aumento do IVA é uma das questões que o executivo deverá dizer claramente aos sujeitos e aos partidos políticos o que é que está na sua origem, para se saber se se justifica ou não.

“Teríamos ouvido alguém do Governo e também da maioria a dizer que se se aumentar o limite do tecto da dívida, eventualmente poder-se-ia não aumentar o IVA. Estamos abertos para discutir se é isso que está em causa ou se há outras questões que estarão por detrás desta decisão. O que podemos garantir é a nossa total abertura para o diálogo e para a construção de entendimentos que sirvam os interesses do país”, assegurou.

Por enquanto, prosseguiu, não se trata de uma questão de votar ou não favoravelmente, mas sim o percurso a se fazer até a votação do OE 2022.

Esse percurso, conforme referiu, é o diálogo, a negociação e os compromissos.

Rui Semedo destacou que o Governo, a maioria, a oposição e a sociedade de uma maneira geral têm de enfrentar a actual situação do país e encontrar a melhor situação que sirva os seus interesses.

“Neste aspecto, registamos com satisfação esta preocupação do mais alto magistrado da Nação. Em segundo lugar, o PAICV tem e manifestou ao PR abertura para o diálogo”.

“Há uma abertura muito grande do PAICV ao diálogo e a construção de soluções que melhor nos sirvam neste momento, que é seguramente um momento difícil em que a população enfrenta situações complicadas, em que o Governo tem de encontrar as respostas mais adequadas para enfrentar a crise e para encontrar também resposta para amortecer os efeitos de crise na população e nas famílias particularmente”, frisou.

GS/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos