Óscar Santos destaca importância da implementação de ferramentas que ajudam no aumento da resiliência da cidade

 

Cidade da Praia, 12 Jul (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos, considerou hoje “relevante” a implementação de ferramentas que ajudam no aumento da resiliência da cidade, referindo-se ao projecto CityRAP.

Óscar Santos fez essa consideração em declarações à imprensa à margem da cerimónia de abertura da formação para a implementação do projecto “Ferramenta de Planeamento de Acções para Resiliência da Cidade (CityRAP)”, criado pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) e que teve lugar no Parque 5 de Julho.

“Essa formação chega em boa hora já que vai dotar os formandos de um conjunto de ferramentas para munir o município de uma maior capacidade de recuperação face a desastres urbanos”, disse.

Óscar Santos, que considera ser essa uma lógica “interessante” para uma cidade cada vez mais resiliente, lembrou que a Câmara Municipal da Praia assinou em 2016, em Paris, o pacto para uma urbe com crescimento mais inclusivo e resiliente.

O autarca realçou ainda, que a Cidade da Praia está a crescer muito e com uma média de 150 mil habitantes, um crescimento que, na sua opinião, vem acontecendo de forma espontâneo, em assentamentos informais e com problemas de vária ordem.

Perante esse facto, sublinhou que a autarquia deve estar “sempre atenta”, sobretudo, em situações de alertas.

No entanto, indicou, a câmara municipal para promover a resiliência da Cidade tem vindo a investir para uma actuação diferenciada em épocas de chuvas e não só.

A representante da ONU Habitat em Cabo Verde, Janice da Silva, ao usar da palavra lembrou que o projecto “Ferramenta de Planeamento de Acções para Resiliência da Cidade” foi desenvolvido há cerca de dois anos e posto à disposição dos estados membros com o objectivo de trabalhar a resiliência de uma forma “holística e participada”.

“É uma ferramenta que tem como propósito perceber a capacidade que os sistemas urbanos e os indivíduos têm de recuperar-se, rapidamente, dos efeitos das ameaças quer naturais ou antropogénicas”, frisou.

A implementação dessa ferramenta, sublinhou, consiste em diversas fases começando pela autoavaliação de quem vai implementar, nestes casos os municípios, sobre a situação dos riscos e da própria resiliência para depois conseguirem sair da formação com um plano de acção operacional.

A CityRAP, informou, é um projecto regional, com duração de cinco anos e está a ser iniciado em países como Cabo Verde, São Tomé e Etíopa.

“A primeira fase a decorrer durante o ano de 2017 está a beneficiar os municípios da Praia, Santa Catarina do Fogo e Sal. Em 2018 vai-se disseminar o projecto para outros municípios do país”, avançou.

Para a implementação desta ferramenta, a ONU Habitat disponibilizou um montante global de 500 mil dólares destinado a seis países, sendo que Cabo Verde coparticipou nesta formação, através das câmaras, com o seu fundo para implementação do projecto.

Participam na formação 20 técnicos, sendo eles representantes de grupos associativos e da Câmara Municipal da Praia.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos