Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Organização Mundial da Saúde apela à participação dos jovens no combate à epidemia do tabaco

Cidade da Praia, 31 Mai (Inforpress) – A Organização Mundial da Saúde (OMS) apelou hoje a participação dos jovens no combate a epidemia do tabaco, incentivando-os a criar movimentos para uma geração sem o tabaco.

Numa mensagem alusiva ao Dia Mundial sem o Tabaco, 31 de Maio, que este ano se assinala sob o tema “Proteger os jovens das manipulações da indústria”, a OMS lança uma campanha mundial para combater as tácticas agressivas de comercialização levadas a cabo pela indústria do tabaco para atrair uma nova geração de consumidores.

Nesta linha, transmitiu precisar da ajuda de todos para fazer frente às campanhas de marketing de oito mil milhões de dólares produzidas todos os anos pela indústria para vender produtos prejudiciais para a saúde.

Conforme a mensagem da directora regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti, o tabaco mata metade dos seus utilizadores e que os fumadores apresentam um maior risco de contrair uma doença grave e de falecer se forem infectados pela covid-19.

Para a OMS, todas as formas de tabagismo são nefastas e não existe nenhum nível de exposição seguro ao tabagismo passivo.

Esclareceu que o uso de cigarros electrónicos aumenta o risco de doenças cardíacas e pulmonares. Além disso, a nicotina presente nesses produtos pode comprometer o desenvolvimento cerebral das crianças. Fumar shisha é tão nocivo como as outras formas de tabagismo e o tabaco de mascar pode provocar o cancro da boca, a perda dos dentes e a doença das gengivas.

Segundo os dados avançadas, na região africana, os produtos do tabaco são consumidos por 94 milhões de homens e 13 milhões de mulheres, bem como por um em cada cinco adolescentes, sendo que o seu consumo está a aumentar nas raparigas com idade compreendida entre os 13 e 15 anos e o uso de outros produtos do tabaco, que não os cigarros, está a ganhar terreno na região.

“Todos os anos, 146 mil africanos morrem de doenças relacionadas com o tabagismo. O tratamento de doenças relacionadas com o tabagismo representa 3,5% do total anual das despesas de saúde na Região”, pode-se ler na mensagem.

Além de exortar a participação dos jovens no combate ao tabagismo, a OMS apelou igualmente aos pais, cuidadores e professores que eduquem as crianças sobre os perigos dos produtos do tabaco e advoguem pela proibição total de fumar em locais públicos e de todas as formas de publicidade a favor do tabaco.

Por fim, pede a todos os governos para implementarem políticas gerais de luta antitabágica, conforme estipulado na Convenção-Quadro da OMS para a Luta Antitabágica, de forma a salvar vidas e reduzir os custos dos cuidados de saúde.

Em Cabo Verde, o Instituto Nacional de Saúde Publica informou que mais de 100 pessoas morrem por ano, devido ao uso de tabaco.

HR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos