Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Organização garante que se encontra “totalmente pronta” para VII edição do Atlantic Music Expo 

Cidade da Praia, 10 Abr  (Inforpress) – A organização da sétima edição do Atlantic Music Expo garantiu hoje que tudo está a posto para a realização de mais uma edição deste certame musical, aprazada para os dias 17 a 19, num “contexto diferente”.

“Estamos totalmente prontos e estamos a aguardar apenas a chegada dos primeiros artistas e delegados à Cabo Verde a partir de quinta-feira, 12, e na segunda-feira, 16, vamos fazer a cerimónia de abertura na Assembleia Nacional e a partir de terça-feira vamos dar início ao programa completo”, afirmou um dos promotores, Augusto Veiga.

Com a renúncia do Governo em continuar a financiar o AME, uma vez que esta vinha a consumir um terço do orçamento de investimento do Ministério Cultura e das Indústrias Criativas, a Associação Cabo Verde Cultural, constituído por 10 produtores nacionais, assumiu há cerca de cinco meses o compromisso de dar continuidade a esta mostra da música, com um orçamento de apenas 16 mil contos, isto é, uma redução de 50 por cento, comparando com as edições anteriores.

Faltando apenas oito dias para o arranque, a organização rubricou hoje, durante um cocktail, na Cidade da Praia, protocolos com dois dos parceiros mais antigos deste evento, o Banco Comercial Atlântico (BCA) e a Garantia Seguros, para a continuidade do financiamento.

Em declarações à imprensa, Augusto Veiga regozijou-se pelo facto de num tempo recorde de cinco meses a organização conseguiu por de pé este evento, que normalmente leva um ano a ser planeado.

Depois de todos os acontecimentos que se registaram à volta do AME, Augusto Veiga disse que contaram com a solidariedade de vários países que vão participar no evento por conta própria e pela primeira vez, como é o caso de Canadá, com 30 pessoas, uma delegação de 10 pessoas da China, Itália com 10 pessoas e ainda Coreia do Sul.

“Saímos extremamente reforçados, mesmo tendo número reduzido de ‘show cases’ do que nos anos anteriores, mas vamos ter grande qualidade de artistas nacionais e internacionais e acredito que vai ser um AME extremamente forte e vai ser um AME que solidifica o nome e que leva as pessoas a acreditar que o projecto vai continuar e que daqui para frente podemos reforça-lo para os próximos anos”, enfatizou.

Apesar da redução dos ‘show cases’ de 36 para 30, o promotor garantiu que estes vão ter um “bom impacto” e que ainda vão surpreender com o desfile do grupo português Marcha de Alfama, que leva para a avenida cerca de 65 pessoas.

A organização vai manter o mesmo formato de workshops, conferências, “one to one, meetings, daycases, showcases” e a realização da feira na Praça Alexandre Albuquerque.

A sétima edição da AME vai contar com a presença de 30 jornalistas de diferentes órgãos de comunicação social de vários países, mais de 400 delegados, vai ter mais de 200 músicos a actuar, sendo 120 internacionais e 70 nacionais e mais de 38 países presentes, desde a China à Guiné Conakri.

A nível nacional foram seleccionados Djocy Santos, Bob Mascarenhas, Débora Paris, Romeu di Lurdes, Dani Santoz, Puto Makina, DJ Fat Boy, Osmar, Projecto Sarabudja, Mamadou Sulabanku e Rosa Mestre.

A nível internacional, Marco Oliveira, de Portugal, Djazia Sarut (Argélia), Ilam (Senegal), Jupiter&Okwess (Congo), Shaw Ferguson (Canadá), Djeli Moussa Conde (Guiné Conacry), Fredy V & The Foundation (Canadá), Dj Buruntuma (Guiné-Bissau), Arsene Duevi (Itália), Sofiane Saudi & Mazalda (Argélia) e Afotonix (Chade).

AM/AA
Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos