Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ordem dos Médicos diz-se “estupefacta” com a notícia sobre casos de processo disciplinar na classe

Cidade da Praia, 27 (Inforpress) – A Ordem dos Médicos Caboverdeanos (OMC) manifestou-se hoje “estupefacta” por ter tomado conhecimento através da imprensa, esta terça-feira, 26, sobre os inquéritos em curso referentes a casos de óbitos, passíveis de desembocar em processos disciplinares.

Em nota e imprensa enviada à Inforpress, a Ordem refere que “em nenhum momento foi informada de qualquer óbito ocorrido no país por negligência médica hospitalar” durante o período mencionado na peça jornalística, da mesma forma que manifesta seu “total desconhecimento” dos alegados 16 processos disciplinares que podem vir a ser instaurados.

De acordo com a Ordem, a notícia em apreço, que cita fontes ligadas ao conselho de administração (CA) da ERIS – Entidade Reguladora Independente de Saúde -, cujos elementos estiveram em audição esta terça-feira na Comissão Especializada Parlamentar, “deixa a classe médica surpresa e estupefacta e a sociedade cabo-verdiana desinformada sobre a capacidade, celeridade e seriedade da actividade médica em Cabo Verde”.

A Ordem dos Médicos Caboverdeanos fez questão de lembrar ainda, que dispõe de duas Comissões Regionais de Disciplina, uma para Barlavento e outra pra Sotavento, um Conselho Nacional de Disciplina e uma Comissão Especializada de Ética e Deontologia, que estão habilitados para averiguar situações de incumprimento por parte da classe médica e para definir consequentes sanções se tal for aplicável.

Em declarações esta terça-feira na Comissão Especializada Parlamentar, a administradora indigitada para o CA da ERIS, Íris Vasconcelos Matos avançou que “vários processos, desde inspecções, auditorias, inquéritos, que ultrapassam mais de 24 acções” estão sendo analisados neste momento, e que “há possibilidade de serem instaurados cerca de 16 processos disciplinares no tocante aos inquéritos específicos para casos de óbitos”.

No entanto, instada pela deputada Ana Paula Santos – em representação do PAICV na Comissão Especializada -, a esclarecer as circunstâncias desses casos, a administradora da ERIS escusou-se a entrar em pormenores.

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos