Orçamento Rectificativo: Cabo Verde vai ter hospital “tecnologicamente avançado” – Governo

Mindelo, 01 Jul (Inforpress) – O Governo pretende dotar o arquipélago com um hospital “tecnologicamente avançado” num período de três a quatro anos e cujo processo deverá ser iniciado ainda este ano e resultante da parceria entre as seguradoras e o INPS.

A infra-estrutura afigura-se como um dos novos projectos constantes do Orçamento Rectificativo, entregue hoje ao Parlamento pelo vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, num montante de 75 milhões de contos.

Segundo o executivo, o hospital “tecnologicamente avançado” apresenta-se como uma das medidas de reforço da saúde no combate à covid-19, que estão contabilizadas num total 628 milhões de escudos.

A construção, conforme a mesma fonte, deverá acontecer num período de três a quatro anos, resultante de uma parceria entre as seguradoras e o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), aliada à uma rede do sistema público e privado ao nível nacional, e em rede com os “melhores hospitais” do mundo e com as competências humanas, que Cabo Verde tem na diáspora a nível da saúde.

O processo para a sua efectivação, diz o executivo, deverá avançar ainda este ano, ao mesmo tempo, que se avança com uma “profunda reforma” do financiamento do sistema de saúde, “garantindo unicidade na liderança de gestão desse ramo, que vem recebendo valores anuais que ultrapassam os oito milhões de contos”.

O Governo deverá apostar ainda na aquisição de uma aeronave para dar resposta à situação de emergência, para além do patrulhamento aéreo, com recurso ao Fundo Soberano de Emergência de 600 milhões de contos.

“Sendo o investimento alocado às Forças Armadas para efeito de gestão, mediante uma renda anual de aproximadamente 60 a 70 milhões de escudos”, declarou o executivo.

Globalmente, o Orçamento do Estado para 2020 era de 73 mil milhões de escudos mais dois mil milhões de escudos do que no ano anterior, e previa um crescimento económico no intervalo de 4,8 a 5,8% do Produto Interno Bruto, comparando com 2019.

Mas hoje, o vice-primeiro-ministro entregou ao Parlamento, a proposta de Orçamento rectificativo, num montante de 75 milhões de contos, para o país fazer face à pandemia da covid-19, tendo a saúde e a segurança sanitária como uma das prioridades.

O Orçamento Rectificativo contempla ainda cinco milhões de contos para apoiar as empresas, sendo quatro milhões para as pequenas e médias empresas e um milhão de contos para as micro empresas, “com bonificações e garantias da parte do Estado de Cabo Verde”.

Ao sector do ensino vão ser afectados 400 mil contos, além da criação de um quadro fiscal que seja incentivador do acesso ao ensino e à formação profissional à distância, através de isenção na importação e aquisição dos dispositivos para que todas as crianças e jovens possam ter acesso.

Olavo Correia disse não ter dúvidas que Cabo Verde é, seguramente, um dos países africanos “mais impactados, do ponto de vista económico e social” pela presente pandemia.

LN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos