Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

ONU reforça sanções contra Coreia do Norte

 

Nações Unidas, Nova Iorque, 06 Ago (Inforpress) – O Conselho de Segurança da ONU adoptou hoje, por unanimidade, uma resolução reforçando fortemente as sanções impostas à Coreia do Norte, que, se for respeitada, privará Pyongyang de mil milhões de dólares de receitas anuais.

Uma nova resposta aos programas balístico e nuclear norte-coreanos, o texto representa um êxito para os Estados Unidos, que conseguiram convencer a China – principal apoiante de Pyongyang – e a Rússia a aumentar a pressão internacional sobre a Coreia do Norte, acusada de ser uma “ameaça global”.

A resolução 2371 visa proibir a obtenção de receitas das exportações norte-coreanas, nomeadamente nos sectores do carvão, do ferro e das pescas.

Esta nova resolução tem por objectivo obrigar Pyongyang a negociar, após o seu primeiro disparo de um míssil intercontinental, a 04 de Julho, considerado pelas grandes potências como uma ameaça para a segurança mundial.

A Coreia do Norte procedeu a 28 de Julho ao disparo de um segundo engenho similar.

“[A resolução] permite enviar uma mensagem forte ao regime norte-coreano”, congratulou-se a embaixadora norte-americana na ONU, Nikki Haley.

Depois desses testes, é “mais que nunca urgente pôr termo aos programas nuclear e balístico norte-coreanos e de conduzir Pyongyang à mesa das negociações”, disse o seu homólogo francês, François Delattre.

“Devemos fazer tudo o que pudermos para exercer pressão sobre esse regime, fazer pressão sobre Kim Jong-un e aqueles que o rodeiam, para que eles cheguem à conclusão de que é do seu interesse desnuclearizar”, dissera antes H.R. McMaster, conselheiro para a Segurança Nacional do Presidente norte-americano, Donald Trump.

As novas sanções visam impedir as exportações norte-coreanas de ferro, minérios de ferro, chumbo, minérios de chumbo, peixe e crustáceos.

Em contrapartida, elas não dizem respeito, como referido no início das negociações, há um mês, ao abastecimento de produtos petrolíferos à Coreia do Norte.

O texto “impõe uma interdição em sectores inteiros das exportações” norte-coreanas, regozijou-se um diplomata que solicitou o anonimato.

Na resolução, a Coreia do Norte é acusada de efectuar um “desvio maciço dos seus fracos recursos” para continuar a desenvolver “armas nucleares e vários programas dispendiosos de mísseis balísticos”.

Desde o primeiro teste nuclear norte-coreano, em 2006, a ONU impôs seis pacotes de sanções à Coreia do Norte, dois dos quais claramente mais severos que os anteriores, no ano passado, incluindo medidas que afectam a economia do país.

Inforpress/Lusa

Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos