ONU-Habitat e Morabi assinam protocolo para implementação do III Programa Participativo de Melhoria de Bairros Informais (c/áudio)

Cidade da Praia, 14 Mai (Inforpress) – A ONU-Habitat e a Morabi estabeleceram hoje uma parceira para a implementação do terceiro Programa Participativo de Melhoria de Bairros Informais (PSUP III) na vertente de mobilização social e comunitária, no valor de 118 mil dólares (11,5 mil contos).

Com um período de execução de seis meses, o PSUP, que está a ser implementado em Cabo Verde desde 2009 em parceria com o Governo e com as câmaras municipais, nesta fase, vai ser implementado os projectos piloto prioritários de mobilização comunitária e de intervenção nos assentamentos informais, nas ilhas de Santiago, São Vicente, Sal e Boa Vista.

De acordo com o PSUP, estima-se que em 2030 a população de Cabo Verde será de 620 mil e que 73 por cento (%) das pessoas vão viver em assentamentos informais devido aos desafios económicos, sociais e culturais.

Segundo a representante da ONU-Habitat, Janice da Silva, Cabo Verde é um dos países mais urbanizados a nível da sua região com mais de 65% da população urbana e cada vez mais nas ilhas turísticas a questão dos assentamentos informais vai aumentando.

Ciente desta situação, afirmou que é preciso transformar as condições de vida das populações, transformar as potencialidades, continuar a fazer o planeamento e, para isso, contam com o apoio das câmaras municipais, da Morabi e das comunidades.

No âmbito deste protocolo, informou que a Morabi vai trabalhar mais de perto com as comunidades para organizá-las, com vista a receberem os projectos de maior escala e projectos que eles mesmos na fase anterior identificaram como sendo prioritários, nomeadamente a questão do microcrédito, planeamento urbano e mobilização.

Para a presidente da Morabi, é necessário um “envolvimento e engajamento forte” das comunidades para que de facto possam devolver os planos e os projectos.

Conforme disse, este programa é de “extrema importância” na medida em que estão a fazer um trabalho de urbanização, não só pensando nas casas das pessoas, mas pensando como ficará o bairro.

“Temos bairros com grande problema de habitação, então a ONU-Habitat e a Morabi vão desenvolver esse projecto no sentido de mobilizar e trabalhar com as comunidades e as câmaras municipais. Nós consideramos que isto é extremamente importante, o processo participativo e de “djunta mó”, então é esse o trabalho grande que vamos fazer com as comunidades” disse.

De referir que, para além da ONU-Habitat, este programa, que vai complementar o Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA), é financiado pelo Governo e pela União Europeia.


AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos