ONG em Cabo Verde acabam por fazer o milagre da multiplicação dos pães – PR

Cidade da Praia, 03 Jun (Inforpress) – O Presidente da República, José Maria Neves, considerou hoje que as organizações não-governamentais (ONG) em Cabo Verde, no seu trabalho em prol da sociedade e dos cidadãos, acabam sempre por fazer o milagre da multiplicação dos “pães”.

O chefe de Estado fez essas considerações em declarações à imprensa aquando da visita que realizou à sede da Associação de Pais e Amigos de Crianças e Jovens com Necessidades Especiais (Colmeia), situada na Cidadela, no Palmarejo.

“Temos aqui um trabalho extraordinário e as ONG acabam quase por fazer um milagre de multiplicação dos pães e conseguem, com isso, prestar serviço de muita pertinência social e de muita qualidade aos cabo-verdianos”, disse, focando na necessidade de uma maior prestação de cuidado quanto ao financiamento da sociedade e ONG para que possam cumprir com mais eficácia e qualidade o trabalho que prestam.

José Maria Neves referiu ainda sobre a necessidade de se analisar melhor as prestações globais do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) para a existência de mais prestações, sobretudo para as pessoas com deficiência que tenham necessidades educativas especiais e assistência médica especial.

Isso porque, o chefe de Estado considera “fundamental” que se crie oportunidades para as pessoas com deficiência.

Nesse aspecto, lembrou que o Presidente da República pode exercer a sua magistratura de influência junto do Governo, das autoridades municipais, das autoridades no geral e mobilizar a sociedade no sentido de prestar mais atenção a estas questões.

“Eu tenho insistido, ainda enquanto primeiro-ministro, pela necessidade de todos darmos mais atenção ao sistema de segurança social, prestar atenção às prestações e a governança corporativa desta instituição que é de todos os cabo-verdianos e essencial para a sustentabilidade do desenvolvimento futuro do país”, acrescentou.

Ainda segundo José Maria Neves, o Presidente através da cooperação internacional pode mobilizar parcerias e recursos para apoiar ONG e sociedade no desempenho de um trabalho que considera ser “muito nobre”.

Por sua vez, a primeira-dama, Débora Carvalho, que acompanhou o chefe de Estado nesta visita, manifestou interesse em promover práticas sociais para ajudar as organizações nacionais que lutam com a causa das pessoas com deficiência.

“Nós queremos, sobretudo, envolver outras organizações internacionais com competência, como fisioterapeutas fora do país que possam, pela sua experiência, nestas questões, trazer competências para Cabo Verde”, disse, em declarações à imprensa, salientando ainda o envolvimento da diáspora.

A visita do PR à sede da Colmeia teve como propósito conhecer de perto o trabalho que vem sendo realizado pela associação na promoção e criação de condições para que as crianças e jovens com deficiência para que possam crescer cada vez mais integrados e engajados na sociedade cabo-verdiana.

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos