Olavo Correia perspectiva maior dinâmica de crescimento económico com investimentos no sector privado(c/áudio)

Cidade da Praia, 13 Ago (Inforpress) – O vice-primeiro- ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje que, com o envelope de investimentos para sector privado, do Banco de Investimentos e Desenvolvimento da CEDEAO (BIDC), vão acelerar a dinâmica de crescimento económico no país.

Durante o discurso de apresentação do workshop sobre os produtos e mecanismos de financiamento do Banco de Investimentos e Desenvolvimento da CEDEAO, que aconteceu hoje, na Cidade da Praia, Olavo Correia perspectivou resultados significativos para o sector privado e um novo desempenho da economia cabo-verdiano.

“Dia macro para um novo relacionamento, com projectos. Estamos a falar de sector privado, queremos ver acções, resultados, que significam financiar projectos, criar emprego, gerar rendimento, acelerar a dinâmica de crescimento da economia cabo-verdiana e queremos contar com a BIDC nesta empreitada”, afiançou.

O governante disse que sem os financiamentos não haverá crescimento, apontando que o Governo tem criado condições para que essas apostas sejam feitas no país, nomeadamente em sectores como o turismo, os transportes, as telecomunicações, entre outros.

“Temos empreendedores, eles precisam também de oportunidades e de instrumentos para poderem ir mais longe. Queremos contar com o forte apoio da BIDC, para que esses sectores possam crescer cada vez mais, contribuindo no desenvolvimento de Cabo Verde”, sustentou.

O ministro mostrou-se também satisfeito com a presença do presidente da BIDC no país, Bashir Mamman, defendendo “comprometimento”, no que tange a financiamento que a instituição tem disponível para os sectores público e privado cabo-verdianos.

Por sua vez, Bashir Manman explicou que a sua vinda visa construir uma parceria forte com o Governo de Cabo Verde, apresentar as linhas de condução de investimentos, que contribuam para o crescimento da economia.

“Acreditamos que o nosso contributo irá proporcionar um desenvolvimento inclusivo e sustentável do país. As actividades do BIDC destinam-se a lançar as bases de desenvolvimento sustentável dos estados membros da CEDEAO”, observou.

O Banco de Investimento e Desenvolvimento da CEDEAO é a entidade financiadora da comunidade económica do Estados da África Ocidental, que estabeleceu-se como grupo bancário, após a transformação do antigo Fundo da CEDEAO em 1999.

Em Outubro de 2011, o capital autorizado do banco foi aumentado para cerca de 1,5 mil milhões de dólares, sendo 70 por cento (%) é reservado aos estados membros (15 estados membros da CEDEAO) e os restantes 30% estão abertos à subscrição de membros não regionais.

Na distribuição do capital autorizado do BIDC, Cabo Vede consta com 0,95 %, enquanto a maior percentagem de investimentos é para a Nigéria, que regista 31, 34 %.

HR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos