OE’2023: Ministro diz que 2023 será “decididamente” o ano da retoma do Turismo

Cidade da Praia, 17 Nov (Inforpress) – O ministro do Turismo e Transportes disse hoje que o Orçamento de Estado para 2023 (OE’2023) prevê um montante de um milhão e quatrocentos mil contos para o funcionamento daquele ministério para continuar a fomentar o crescimento destes sectores.

“Quando nós estamos a falar do orçamento de funcionamento, estamos a falar de um milhão e quatrocentos mil contos, que não difere muito daquilo que foi 2022, até porque reflecte o tempo, o momento porque estamos a passar. Há algumas contenções que têm que ser feitas”, disse Carlos Santos em declarações à imprensa momentos depois de ser ouvido pela Comissão Especializada do Parlamento em Economia, Ambiente e Ordenamento do Território, a propósito da aprovação do OE’2023.

Nas suas declarações, o ministro falou naquilo são os investimentos para dar mote, continuar a crescer e a fomentar o turismo por forma a que seja cada vez mais resiliente, mais amigo do cabo-verdiano, mais inclusivo e que possa trazer mais ganhos e efeitos positivos para Cabo Verde.

“Por isso é que nós estamos sistematicamente a falar da importância deste Programa Operacional do Turismo (POT), que nos próximos cinco anos tem um envelope financeiro de 200 milhões de euros e que já tem, neste momento, mobilizado cerca de 80 milhões de euros para os próximos cinco anos, é um plano plurianual”, frisou.

O POT, acrescentou, tem na requalificação da oferta o seu pilar essencial no sentido de fazer com que haja mais competitividade, resiliência e surgimento de outros nichos de mercado para diversificar o turismo nacional.

“Se nós diversificarmos, estaremos a transformar o nosso turismo mais resiliente a choques, mas também estaremos a dar uma oportunidade maior aos cabo-verdianos a ter maiores ganhos com outros nichos que não sejam só o nicho de sol e praia”, explicou.

Por isso, justificou, a “aposta forte” no ecoturismo, nos projectos de aldeias turísticas, nos projectos de nómadas digitais, na requalificação das gares marítimas para que haja maior turismo interno e também um turismo que seja cada vez mais protector do ambiente por forma a que as gerações actuais e futuras possam tirar proveito.

“2023, decididamente, é o ano da retoma do turismo, estamos à espera disso, temos bons dados que nos leva a acreditar nisso pela capacidade que Cabo Verde teve, em pouco tempo de demonstrar que nós, a nível dos protocolos e das regras de segurança sanitária e também no nível de vacinação que nós tivemos, somos um destino confiável”, considerou.

GSF/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos