Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

“OE’2021 tem como um dos grandes objectivos recuperar o País e colocá-lo na rota da Ambição 2030” – PM

Cidade da Praia, 26 Nov (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, informou hoje no parlamento que o Orçamento do Estado (OE) para 2021 tem como um dos três grandes objectivos recuperar o País e colocá-lo na rota da Ambição 2030.

“Este OE prossegue os seguintes grandes objectivos: controlar a pandemia e desconfinar a economia, proteger os rendimentos, os empregos, as famílias e as empresas e recuperar o país e colocá-lo na rota da Ambição 2030”, afirmou o chefe do Governo no arranque do debate sobre o OE para o próximo ano.

Em consequência, completou, o orçamento investe na saúde, na educação, no rendimento, no emprego, na habitação social, nos cuidados e em outras medidas com efeitos em transferências de rendimentos para as famílias e na protecção de crianças, adolescentes e pessoas com deficiência.

“É um OE com foco no emprego e nos jovens”, prosseguiu Ulisses Correia e Silva, adiantando que mais de sete mil jovens serão beneficiados com formação profissional em todo o País e outros três mil serão beneficiados com estágios profissionais.

Ulisses Correia e Silva anunciou ainda a distribuição de 1.800 novas bolsas de estudos, apoios aos estudos, apoio a start-ups e microempresas de jovens, bem como subsídio para aquisição de habitação própria a 244 jovens.

O primeiro-ministro disse ainda que se trata de um orçamento que vai continuar a proteger as empresas e a redinamizar a sua actividade através da prorrogação das moratórias de créditos, assim como a continuidade à linha de crédito covid-19.

Ulisses Correia e Silva referiu-se ainda à linha de crédito para novos investimentos e a de microfinanciamento, na implementação do Fundo Soberano de Garantia e no reforço na capitalização da Pro Capital para a dinamização do capital de risco.

“É um orçamento que vai continuar a investir no desenvolvimento local e regional com investimentos em água, saneamento, estradas, requalificação urbana e ambiental, desporto, porto marítimo e terminal de cruzeiros”, afirmou.

O primeiro-ministro ressaltou ainda que as políticas económicas, fiscal e financeira do Estado estão ajustadas às exigências do momento, que é a protecção e a necessidade de estabelecer pontes para a recuperação e relançamento da economia, para que o País possa retomar o crescimento económico.

“Este é o Orçamento do Estado que Cabo Verde precisa neste momento”, finalizou.

GSF/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos