OE’ 2021: Os 600 mil contos alocados na rúbrica viagens destina-se a toda a estrutura do Estado, ministro das Finanças

Cidade da Praia, 27 Nov (Inforpress) – O Governo clarificou hoje que os 600 mil contos propostos no Orçamento do Estado para 2021 não só destina a viagens do Governo, mas a todo o Estado, englobando o parlamento, a Presidência da República e vários serviços.

Esta informação foi avançada pelo vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, durante o debate sobre o Orçamento do Estado’2021, tendo considerado de “falácia e populismo” e matéria para “as redes sociais”, os argumentos da oposição, sublinhando que esta verba se destina às viagens para toda a estrutura do Estado de Cabo Verde.

“O Estado para funcionar, para fiscalizar, para intervir, para ser efectivo e para regular, precisa de viajar, assim como o parlamento, para funcionar, precisa de viajar, a Presidência da República também, órgãos de soberania”, enumerou o governante, para quem as viagens são feitas de modo a garantir uma melhor gestão e rigor do orçamento do Estado.

Por isso, classificou de “absolutamente falso e injurioso estar a limpar 600 mil contos às viagens do Governo e levar esta mensagem para as redes sociais, que o Governo viaja muito, porque não corresponde a verdade”.

Considerou, ainda de falácia, as vozes em como as despesas de publicidades para o OE’2021 aumentaram, assim como no PIB, afirmando que estes gastos diminuíram em 10 por cento (%) para o ano 2021, ao mesmo tempo que clarificou que o Estado intervém nas empresas para proteger as pessoas, contando actualmente com mais de 80 mil pessoas nas empresas.

Explicou que de 2016 a 2020, as despesas com o pessoal foram aumentadas em mais de seis milhões de contos, dos quais 40% relaciona-se com os compromissos deixados pelo Governo anterior, direccionadas para as classificações, promoções, nivelamento de salários e implementação de Planos de Cargos, Carreiras e Salários na administração pública.

Estas medidas, explicitou Olavo Correia, relativamente tomadas impactaram face ao aumento em mais de 30% da remuneração global a nível da administração pública, tendo sublinhado que “esses seis milhões de contos” foram canalizados para os funcionários público.

O Orçamento do Estado para o ano económico de 2021, avaliado em 78 milhões de contos (40,1% PIB) está em debate nesta segunda sessão ordinária da Assembleia Nacional, desde quinta-feira para a sua aprovação no decorrer desta sexta sexta-feira.

SR/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos