Obras do Mercado do Coco paralisadas devido à revisão do projecto – vereador

 

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – As obras do Mercado do Coco, na Praia, cuja conclusão estava prevista para o final deste ano estão paralisadas devido à revisão do projecto, revelou hoje à Inforpress o vereador do Urbanismo e Planeamento Territorial, Rafael Fernandes.

“Neste momento, as obras encontram-se em fase de acabamento, mas deparamos com um problema que se prende com a capacidade de balcões e lugares, então decidimos parar para analisar e procurar o cenário mais vantajoso para a autarquia e que satisfaça as vendedeiras”, disse o vereador, explicando que essa revisão vai implicar algumas modificações e alterações no projecto.

Segundo Rafael Fernandes, a primeira pedra deste novo empreendimento foi lançada em Maio de 2011, e na altura optou-se pelo cenário que seria mais vantajoso e económico, mas com os atrasos e constrangimentos que foram surgindo ao longos do anos, a câmara foi confrontada com solicitações e “aumento exponencial e imprevisível” das vendedeiras.

“Neste momento a câmara tem duas opções e decidir qual será a melhor para a cidade capital, sendo que a primeira é deixar o mercado como está com 400 lugares muito a baixo do desejado e da oferta ou trabalhar num novo cenário de ampliação e com capacidade de 640 balcões de venda”, indicou, sublinhando que a autarquia praiense terá de decidir qual será a melhor opção para esta estrutura até o final deste ano.

Entretanto disse que o arranque das obras está previsto para o primeiro semestre do próximo ano e que apesar de saber que o cenário já era previsto, a revisão implica um esforço financeiro de 50 mil contos.

Localizado na Avenida Cidade de Lisboa, o novo mercado municipal terá um conceito de “shopping center” com produtos variados desde bens alimentares a vestuário e ainda um parque de estacionamento, um jardim infantil para os filhos dos comerciantes do local e também um restaurante popular com refeições de baixo preço.

Em relação ao novo mercado de peixe, localizado nas imediações do Porto da Praia, garantiu que o projecto já tem financiamento do Banco Mundial e que, neste momento, a autarquia está em negociações com a Direcção-geral das Pescas, Empresa de Administração dos Portos(Enapor) e Polícia Marítima, enquanto entidades que participam no projecto.

“Orçado em 60 mil contos, a estrutura terá capacidade para 40 lugares, com condições modernas, com água permanente, lavagem, expositores de peixes e com capacidade de armazenamento de congelados”, apontou, realçando que as obras arrancam em Janeiro de 2018.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos