Óbito: Titina foi e sempre será um nome maior da música tradicional de Cabo Verde – Cremilda Medina

Lisboa, 07 Mai (Inforpress) – A artista cabo-verdiana Cremilda Medina considera que a cultura cabo-verdiana ficou “mais pobre” com a morte da cantora Titina Rodrigues, afirmando que ela foi e sempre será um “nome maior” da música tradicional de Cabo Verde.

Cremilda Medina reagia assim em declarações à Inforpress, em Lisboa, à morte de Titina Rodrigues, falecida na madrugada desta sexta-feira, 06, em Setúbal (Portugal), após doença prolongada.

“Titina foi e sempre será um nome maior da música tradicional de Cabo Verde e é com muita tristeza que vemos partir fisicamente mais uma embaixadora da nossa morna e coladeira, é uma tremenda perda para a nossa música, para a nossa cultura”, afirmou.

“A melhor homenagem que podemos prestar à Titina é não deixarmos morrer o nosso folclore, continuarmos a cantar as nossas mornas e coladeiras, a nossa cultura”, frisou a artista que também aposta na morna e coladeira como os géneros de excelências.
As cerimónias fúnebres de Titina Rodrigues decorreram hoje no Complexo Fúnebre de Setúbal, num ambiente de consternação e tristeza.

Nascida Albertina Alice dos Santos Rodrigues Oliveira de Almeida em Cabo Verde, no dia 07 de Novembro de 1947, no Mindelo, ilha de São Vicente, ficou conhecida por “Titina Rodrigues” e o seu nome figura na galeria dos mais famosos intérpretes da morna.

Titina Rodrigues cantou músicas de alguns dos maiores compositores cabo-verdianos, como B.Leza, Manuel d’Novas, entre outros, e deixa como legado “interpretações magistrais” que perdurarão na memória de todos os amantes da morna, Património Imaterial da Humanidade, em todo o mundo.

Em finais da década de 1970, gravou um EP com acompanhamento do grupo Voz de Cabo Verde e arranjos de Paulino Vieira. E, cerca de uma década depois, saiu o EP “Titina Canta B.Léza”, em que a cantora interpretava unicamente músicas deste compositor. Este álbum foi reeditado em LP e depois mais duas vezes em CD.

A cantora participou ainda nos discos “Cabo Verde canta a CPLP”, “Músicas de Intervenção Cabo-verdiana e Lisboa nos Cantares Cabo-verdianos”, projectos temáticos de Alberto Rui Machado que, em 2008, produziu o CD que Titina lançou com o título “Destino Cruel”.

DR/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos