Óbito: Embaixada de Cabo Verde em Lisboa qualifica Titina Rodrigues como “grande intérprete” da música cabo-verdiana

Lisboa, 06 Mai (Inforpress) – A Embaixada de Cabo Verde em Lisboa considera a cantora Titina Rodrigues, falecida esta manhã no concelho de Setúbal (Portugal),  uma “grande intérprete” da música cabo-verdiana, e aproveita para apresentar sentidas condolências aos familiares e amigos.

Na sua página oficial, a embaixada cabo-verdiana disse já ter manifestado junto dos familiares mais próximos a sua “inteira disponibilidade” para prestar todo o apoio possível e que lhe for solicitado, como homenagem a uma “grande artista” que deu uma “contribuição enorme” para a promoção da música cabo-verdiana e “influenciou decisivamente” várias gerações de amantes da música.

A Associação Caboverdiana em Lisboa também lamentou a morte da artista de 75 anos e que fez a primeira gravação aos 14 anos, “Estanhadinha”, de Frank Cavaquinho, manifestando o seu “sentimento de profunda tristeza”.

Também o Centro Cultural Cabo Verde (CCCV) em Lisboa apresentou “as suas sentidas condolências aos familiares, amigos e admiradores de Titina Rodrigues”, considerando que “a sua voz será para sempre um dos símbolos da morna, Património Imaterial da Humanidade, música rainha de Cabo Verde”.

Nascida Albertina Alice dos Santos Rodrigues Oliveira de Almeida em Cabo Verde, no dia 07 de Novembro de 1947, no Mindelo, ilha de São Vicente, ficou conhecida por “Titina Rodrigues” e o seu nome figura na galeria dos mais famosos intérpretes da Morna.

Titina Rodrigues cantou músicas de alguns dos maiores compositores cabo-verdianos, como B.Leza, Manuel d’Novas, entre outros, e deixa como legado “interpretações magistrais” que perdurarão na memória de todos os amantes da Morna, Património Imaterial da Humanidade, em todo o mundo.

Em finais da década de 1970, gravou um EP com acompanhamento do grupo Voz de Cabo Verde e arranjos de Paulino Vieira. E, cerca de uma década depois, saiu o EP “Titina Canta B.Léza”, em que a cantora interpretava unicamente músicas deste compositor. Este álbum foi reeditado em LP e depois mais duas vezes em CD.

A cantora participou ainda nos discos “Cabo Verde canta a CPLP”, “Músicas de Intervenção Cabo-verdiana e Lisboa nos Cantares Cabo-verdianos”, projectos temáticos de Alberto Rui Machado que, em 2008, produziu o CD que Titina lançou com o título “Destino Cruel”.

DR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos