Parlamento: Debate sobre Novo Banco foi “chover no molhado” já que nada de novo trouxe – UCID

 

Cidade da Praia, 25 Abr (Inforpress) –  O deputado e líder da UCID (oposição), António Monteiro disse hoje que o debate sobre o Novo Banco (NB) no Parlamento foi “chover no molhado”, já que nada de novo foi apresentado à plenária.

“Estamos a chover no molhado, porque nada de novo estamos a trazer para esta casa parlamentar”, precisou António Monteiro.

O eleito nas listas da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) fez estas considerações quando intervinha na interpelação ao Governo sobre no NB, uma iniciativa do grupo parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD), que suporta o executivo de Ulisses Correia e Silva.

“A Comissão Parlamentar de Inquérito irá trazer à tona todos os argumentos necessários para, politicamente, se responsabilizar aqueles que prevaricaram na gestão do Novo Banco e, quiçá,  na influenciação nesta gestão”, afirmou António Monteiro, reiterando que o assunto já está entregue à Procuradoria Geral da República para assacar responsabilidades jurídicas a quem teve condutas “pouco dignas” para cuidar dos bens públicos.

No calor do debate, os deputados do MpD afirmaram estar na posse de vários documentos relacionados com o NB, enquanto os parlamentares do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) e os da UCID se queixavam que não tiveram a “mesma sorte” que os colegas da banca que suporta o Governo.

Diante desta situação, um deputado do PAICV apresentou um requerimento à Mesa solicitando que o presidente mandasse distribuir aqueles documentos a todos os sujeitos parlamentares. Aceite o requerimento, o presidente em substituição, Austolino Correia, pô-lo à votação, sob alegação de que não tem poderes para obrigar a ninguém a disponibilizar os documentos na sua posse.

O requerimento foi rejeitado com 36 abstenções do MpD e 28 votos da oposição.

Na sua declaração de voto, o MpD justificou a sua abstenção, dizendo que o requerimento do PAICV, apoiado pela UCID, “não fazia sentido”.

Por sua vez, os deputados do PAICV fundamentaram o seu voto a favor, porque “queriam estar em pé de igualdade com os seus colegas do MPD, em termos de documentos sobre o NB”.

Pelo mesmo diapasão alinharam-se também os eleitos da UCID, argumentando que pediram documentos ao Banco de Cabo Verde, mas não lhos foram facultados.

Entretanto, o debate sobre o Novo Banco terminou como se iniciou, com o PAICV a declarar que o BN era um projecto para financiar as pequenas e médias empresas, enquanto o MpD falava em gestão danosa.

LC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos