Nutricionista alerta para o aumento do consumo de produtos industrializados em Cabo Verde (c/vídeo)

Cidade da Praia, 16 Out (Inforpress) – A nutricionista Alzerina Monteiro considerou “preocupante” o aumento do consumo de produtos industrializados em Cabo Verde e desafia os cabo-verdianos a desenvolverem hábitos de alimentação saudável e consumir mais produtos naturais locais visando garantir mais qualidade de vida.

Alzerina Monteiro fez estas afirmações em declarações à Inforpress, a propósito do Dia Mundial da Alimentação que se celebra hoje, 16 de Outubro, considerando que a alimentação saudável é fundamental para o bom funcionamento do organismo e que realizada de modo adequado e aliada a exercícios físicos contribui para aumentar a qualidade de vida.

Segundo a nutricionista, a alimentação é muito importante em todas as fases da vida porque ajuda na prevenção das doenças, principalmente as crónicas que hoje em dia atingem a população a nível mundial, no tratamento das doenças, auxilia o sono, combate a depressão e o estresse e entre outros benefícios.

Para esta profissional da saúde que estuda os alimentos e seus efeitos no organismo humano, existem na sociedade cabo-verdianos alguns mitos de que alimentação saudável é muito cara e que nem todos conseguem adoptar, tendo realçado que é possível fazer uma alimentação saudável mesmo tendo pouco recursos financeiros.

“Quando falamos de alimentação saudável é preciso desmistificar algumas dúvidas porque muitas pessoas dizem que a alimentação saudável é aquela que é cara, mas isso não é verdade, porque eu posso fazer uma alimentação saudável dentro das minhas possibilidades. As pessoas têm que adquirir o hábito de comprar produtos por época porque têm chance de comer frutas e legumes quando estão mais baratos”, declarou.

Chamou a atenção para o aumento no consumo de produtos industrializados em Cabo Verde, tendo referido que esses alimentos são os maiores causadores das doenças crónicas e cancerígenas que tem afectado a população cabo-verdiana.

Alzerina Monteiro frisou ainda que mesmo com todas informações sobre os benefícios da alimentação saudável, os cabo-verdianos estão “impacientes” no que se refere a preparação da sua alimentação, preferindo muitas vezes em consumir produtos industrializados, que prejudicam a sua saúde.

“A alimentação dos cabo-verdianos é a base de carboidratos e alimentos industrializados, produtos que aumentam o peso, glicemia, e várias doenças. Temos pouco consumo de legumes e frutas, temos que aumentar o consumo que infelizmente está abaixo do consumo (…) e criar o habito também para o consumo dos nossos produtos locais”, realçou, salientando que dentro de alguns anos haverá mais obesas e com vários problemas de saúde.

A nutricionista recomendou, neste sentido, as pessoas a cuidarem mais da sua saúde, optando por um estilo de vida mais saudável em todas as fases de crescimento, de acordo com as necessidades das mesmas, lembrando que alimentação é a base de tudo.

O Dia Mundial da Alimentação celebra-se anualmente a 16 de Outubro e marca o dia da fundação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), em 1945,

A efeméride foi criada com o intuito de desenvolver uma reflexão a respeito do quadro actual da alimentação mundial.

Este ano a data é celebrada sob o lema “As nossas acções são o nosso futuro. Melhor produção, melhor nutrição, melhor ambiente e melhor qualidade de vida”.

 

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos