Número de hóspedes em Cabo Verde aumentou 18,1 por cento no terceiro trimestre de 2017 face ao trimestre homólogo – INE

 

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – O número de hóspedes em Cabo Verde aumentou 18,1 por cento (%), no terceiro trimestre de 2017, face ao trimestre homólogo e no mesmo período, as dormidas cresceram 17,1%, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Reino Unido foi o principal país de proveniência de turistas, confirmam os dados estatísticos do turismo/movimentação de hóspedes no terceiro trimestre 2017.

Os turistas ingleses foram os que permaneceram mais tempo em Cabo Verde, com uma estadia média de 9,5 noites. A ilha do Sal foi a mais procurada pelos turistas, representando cerca de 52,2% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros.

No período de Janeiro a Setembro de 2017, os estabelecimentos hoteleiros registaram mais de 512 mil hóspedes e cerca de 3,3 milhões de dormidas, movimentos que se traduzem em acréscimos de 11,0% e 12,1%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior.

No terceiro trimestre de 2017, a hotelaria alojou mais de 163 mil hóspedes que originaram mais de 1,1 milhões de dormidas, correspondendo a acréscimos de 18,1% e 17,1%, respectivamente, face ao trimestre homólogo.

Em termos absolutos, no terceiro trimestre de 2017 entraram nos estabelecimentos hoteleiros mais 25.060 turistas e, que originaram mais 163.528 dormidas do que no trimestre homólogo, informa o INE.

A análise por tipo de estabelecimento, revela que os hotéis continuam sendo os estabelecimentos hoteleiros mais procurados, representando 88,6% do total das entradas.

As residenciais seguem-se com cerca de 3,5% e, as pensões e os aldeamentos turísticos com 2,7% % cada.

Relativamente às dormidas, os hotéis representam 92,1%, os aldeamentos turísticos, 2,7% e as residenciais com 2,0%, como se depreende do gráfico a seguir.

A ilha do Sal teve maior acolhimento, com 48,8% do total das entradas, seguida da ilha da Boa Vista, com 31,0% e Santiago com 10,4%.

Em relação às dormidas, a ilha do Sal registou 52,2%, Boa Vista 39,5%, e Santiago 3,4%, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística.

O inquérito confirma também que por país de residência habitual dos hóspedes, os residentes em Cabo Verde totalizaram 8,7% das entradas e 3,4% das dormidas.

O principal mercado emissor de turistas, neste trimestre, continua sendo o Reino Unido com 20,5% do total das entradas. A seguir vêm Portugal, Alemanha, Cabo-verdianos residentes e Países Baixos, responsáveis por 15,4%, 9,5%, 8,4% e 8,3%, respectivamente, diz o INE.

Relativamente às dormidas, o Reino Unido também permanece no primeiro lugar com 31,8% do total, seguido de Portugal, Alemanha e Países Baixos, com 12,9%, 11,3% e 9,2%, respectivamente, indica o inquérito.

De acordo com o INE, a maioria dos turistas provenientes do Reino Unido, preferiu como destinos as ilhas do Sal e da Boa Vista representando, respectivamente 53,5% e 46,25% das dormidas por eles realizadas e escolheram como local de acolhimento os hotéis, 99,8%.

As dormidas dos residentes em Portugal distribuíram-se principalmente pelas ilhas do Sal (47,2%), da Boa Vista (41,0%) e Santiago (7,4%).

Os hotéis foram os tipos dos estabelecimentos mais procurados pelos portugueses, representando cerca de 95,7%.

Os de Alemanha escolheram como destino principal a ilha da Boa Vista (54,5%) e em seguida a do Sal (41,2%) para pernoitar. Preferiram, também, os hotéis como o principal meio de alojamento, representando 95,0%.

Ainda, segundo os dados apurados pelo INE, os visitantes provenientes do Reino Unido foram os que tiveram maior permanência média em Cabo Verde no trimestre em análise (9,5 noites).

A seguir estão os provenientes da Alemanha e de Países Baixos com 7,9 e 7,4 noites, respectivamente. Os Cabo-verdianos residentes permaneceram, em média, 2,5 noites nos estabelecimentos hoteleiros.

Durante o terceiro trimestre de 2017, em média, a taxa de ocupação-cama a nível geral, foi de 56%, contra os 55% registados no trimestre homólogo.

As ilhas da Boa Vista e do Sal tiveram as maiores taxas de ocupação – cama com 85% e 64%, respectivamente, indicam os dados do INE.

Os hotéis foram os estabelecimentos hoteleiros com maior taxa de ocupação-cama, 68%. Seguem-se os aldeamentos turísticos (31%) e as residenciais, com 19%.

JL/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos