Novo UNDAF vai ajudar Cabo Verde a enfrentar os principais desafios de desenvolvimento –ministro

 

Cidade da Praia, 16 Out (Inforpress)- O ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades afirmou que o novo Quadro de Cooperação para o Desenvolvimento das Nações Unidas em Cabo Verde – (UNDAF) 2018-2022, assinado hoje, vai ajudar Cabo Verde a enfrentar os principais desafios de desenvolvimento.

Luís Filipe Tavares fez essa constatação, hoje, na Cidade da Praia, durante a sua intervenção na cerimónia de assinatura de novo Quadro de Cooperação para o Desenvolvimento das Nações Unidas em Cabo Verde – (UNDAF) 2018-2022) entre o Governo de Cabo Verde e o Sistema das Nações Unidas, no valor de 92 milhões de dólares.

Segundo o governante, as prioridades do Governo nesse UNDAF norteiam em transformar Cabo Verde numa plataforma de serviços, num arquipélago “mais resiliente”, que esteja em condições de enfrentar os principais desafios de desenvolvimento no sector da educação, ambiente, economia, mas sobretudo na sustentabilidade da economia nacional.

Para o ministro, o novo UNDAF 2018-2022, orçado em 92 milhões de dólares, é um documento que reflecte o plano estratégico de desenvolvimento sustentável de Cabo Verde, que será aprovado muito brevemente, mas também as grandes prioridades do programa do executivo irá permitir ao arquipélago trabalhar com as Nações Unidas num quadro de concertação negociada e de compromisso firme.

“O facto de termos aqui a secretária-adjunta do secretário-geral das Nações Unidas, representantes de várias agências das Nações Unidas, demonstra o engajamento sério, responsável e o comprometimento das Nações Unidas para com o processo de desenvolvimento do arquipélago”, sublinhou.

Por seu turno, a coordenadora residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, Ulrika Richardson, realçou que o novo UNDAF é um instrumento de planeamento estratégico, elaborado com o envolvimento de entidades governamentais, dos municípios das organizações da sociedade civil, sector privado e parceiros envolvidos no processo de desenvolvimento do país

“Trata-se de um documento, uma estratégia, ou melhor, de um compromisso conjunto e integrado com as agências, fundos e programas das Nações Unidas, que cooperam com Cabo Verde em perfeito alinhamento e sintonia com as prioridades nacionais o novo plano estratégico para o desenvolvimento sustentável e a nova agenda global 2030 para o desenvolvimento sustentável , assim como a agenda regional de África 2063 e a Samoa”, afirmou.

A coordenadora mostrou-se confiante de que a parceria entre Cabo Verde e as Nações Unidas continuará nesses mesmo espírito, com foco e benefício para as crianças, jovens, homens e mulheres cabo-verdianas, e servira também de inspiração para o multiralismo e uma cooperação alicerçada nos valores da Carta das Nações Unidas e as prioridades nacionais e o reforço da soberania do país.

A cerimónia de assinatura do novo UNDAF contou com a presença da secretária-adjunta do secretário-geral das Nações Unidas e alto representante para os Países Menos Desenvolvidos, Países em Desenvolvimento sem Litoral e Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, Fekitamoeloa Katoa Utoikamanu, directores Regionais das Agências das Nações Unidas, que integram o UNDAF, e uma delegação da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O último Quadro de Cooperação para o Desenvolvimento das Nações Unidas em Cabo Verde – (UNDAF) 2012-2016 estava orçado em 65 milhões de dólares.

AV/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos