Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Novo rio de lava em La Palma arrasta blocos equivalentes a casa de três pisos

Santa Cruz de La Palma, Espanha, 10 Out  (Inforpress) – O novo rio de lava do vulcão Cumbre Vieja da ilha de La Palma está a arrastar blocos de pedra do tamanho de um edifício de três andares, alertou hoje Instituto Geológico e Mineiro Espanhol (IGME).

O IGME divulgou um vídeo gravado no terreno pelos seus cientistas em La Palma muito próximo do novo fluxo, que mostra a força com que desce e o tamanho dos blocos que arrasta, “equivalente a uma casa de três andares”, noticiou a agência espanhola EFE.

O novo rio de lava foi provocado pelo desabamento, no sábado, do flanco norte do vulcão daquela ilha do arquipélago das Canárias, situado a oeste da costa de Marrocos.

A associação Volcanes de Canarias, um grupo de geólogos e entusiastas da vulcanologia que colabora com as autoridades em programas de formação para o público, advertiu que o vulcão passou por uma fase com explosões “altamente ruidosas, enérgicas e sustentadas” esta manhã, que provocaram “vibrações do solo” num raio de até seis quilómetros do cone eruptivo.

O Instituto Geográfico Nacional (IGN) espanhol anunciou que ocorreram 21 sismos em La Palma nas últimas horas.

O mais forte registou uma magnitude de 3,8 e ocorreu a uma profundidade de 34 quilómetros no município de Mazo.

Pouco depois de relatar o colapso do cone, os cientistas do Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan) divulgaram um vídeo em que se via uma enorme frente de lava a envolver o parque industrial Camino de la Gata, em Los Llanos de Aridane, o município mais populoso da ilha.

O vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção em 19 de setembro, obrigando à retirada de mais de 6.000 pessoas das zonas afetadas, onde mais de mil edifícios foram destruídos pela lava.

A erupção afetou o cultivo da banana e o turismo, as principais fontes de receitas da ilha, onde vivem cerca de 85.000 pessoas.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos