Novo diretor-executivo do IILP inicia as funções em Janeiro de 2019

Cidade da Praia, 27 Dez (Inforpress) – O guineense Incanha Intumbo inicia as suas funções como novo director executivo do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP) a partir do dia 03 de Janeiro de 2019, revelou hoje à Inforpress a instituição.

Segundo o site da CPLP, o guineense Incanha Intumbo tomou posse, para o biénio de 2019/2020, no dia 6 de Dezembro de 2018, numa cerimónia realizada na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa.

O acto contou com a intervenção do embaixador Eurico Monteiro, representante da Presidência em exercício da CPLP de Cabo Verde, na presença da secretária executiva da CPLP, Maria do Carmo Silveira, e dos representantes permanentes dos Estados-membros.

No seu discurso, Eurico Monteiro reafirmou a importância de alguns projectos actuais do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, como a elaboração de um vocabulário ortográfico comum e o Portal do Professor de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Língua Não Materna, e ainda algumas dificuldades do IILP, no que tange “à falta de meios técnicos e financeiros”.

Segundo a Lusa, o IILP tem um orçamento de 300 mil euros, mas a sua acção tem sido limitada devido à falta de financiamento, tendo em conta os atrasos no pagamento das quotas por parte de alguns Estado-membros da CPLP. Antes da Cimeira do Sal, o instituto tinha dívidas de quotas que ascendiam a 800 mil euros.

Na tomada de posse, Incanha Intumbo apelou a todas as pessoas que usam o português como língua, sobretudo os que têm poder de decisão, que tentem “usar menos verbos para justificar as poucas verbas” que a instituição tem para trabalhar.

“Convém que neste sentido os países façam algum esforço para que o instituto possa, realmente, cumprir a sua programação, possa desenvolver os seus programas e possa daqui a algum tempo rever as estatísticas do falante de língua portuguesa”, apelou Incanha Intumbo.

A nomeação do candidato da Guiné-Bissau para o cargo de director executivo do IILP decorreu no âmbito de um encontro informal dos Chefes de Delegação dos Estados-membros da CPLP à 73ª Sessão da Assembleia-Geral (AG) da Organização das Nações Unidas (ONU), no dia 25 de Setembro de 2018, em Nova Iorque, organizado pela presidência “pro tempore” (temporariamente) cabo-verdiana da CPLP.

O linguista guineense formado em Coimbra sucede no cargo à moçambicana Marisa Mendonça, nomeada na Cimeira da CPLP, em 2014, em Díli, e reconduzida para o segundo mandato na XI Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorreu nos dias 31 de Outubro e 1 de Novembro de 2016, em Brasília.

O IILP é a instituição da CPLP que tem como objectivo a planificação e execução de programas de promoção, defesa, enriquecimento e difusão da Língua Portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e o de utilização em fóruns internacionais.

AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos