Nova Sede do BCV: “Um sonho de quase 30 anos que se torna realidade” – governador

Cidade da Praia, 11 Fev (Inforpress) – A inauguração da nova sede do Banco de Cabo Verde (BCV) é a realização do sonho de quase 30 anos, afirmou o governador, que garantiu que a infra-estrutura está à altura dos desafios actuais do sistema financeiro.

Óscar Santos, que discursava na cerimónia de inauguração, hoje, na Cidade da Praia, salientou que a obra projectada pelo “conceituado arquitecto” português Álvaro Siza Vieira, pelas suas características, dimensão e complexidade, “valorizará não só o BCV, mas também a Cidade da Praia e todo o País”.  

“Um sonho de quase 30 anos que hoje se torna realidade. A sede do BCV será, sem lugar para dúvidas, a obra arquitectónica de referência em Cabo Verde e do mesmo passo estará à altura dos desafios que o sistema financeiro enfrenta”, afirmou o governador, que recordou que o processo para a construção da nova sede começou nos primórdios do ano de 1992.

A obra foi financiada, na sua totalidade, com recursos provenientes do Fundo de Pensões dos Colaboradores beneficiários do regime privativo de previdência social do BCV, pelo que, segundo o governador, a sua construção “não teve encargos, quer para o Banco, quer para o erário público”.

“Trata-se de um mecanismo, normalmente utilizado por instituições financeiras, e encontra respaldo nas normas internacionais de relato financeiro, permitindo retirar pressão às contas do balanço do banco, rentabilizando esses recursos conforme recomendam as melhores práticas internacionais”, explicou, adiantando que a nova sede do BCV é propriedade do Fundo de Pensões dos trabalhadores beneficiários do regime privativo de previdência do banco.

O imóvel será cedido em regime de arrendamento, pelo que o BCV assume por conta do fundo as prestações mensais dos beneficiários até extinção das responsabilidades assumidas.

O acto de inauguração, que serviu também para homenagem aos ex-governadores, foi presidido pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, que, enquanto quadro do BCV e governante, participou em diversas etapas da construção da nova, desde a parte organizacional, em 1993,e no lançamento da primeira pedra em 2017 e na inauguração, hoje.

Ulisses Correia e Silva manifestou a sua satisfação, afirmando que o BCV ganha uma nova sede “à dimensão da sua necessidade e do seu prestígio”, enquanto instituição de referência em Cabo Verde, e cujo percurso “se confunde com a história do País”, e “marca indelevelmente a soberania cabo-verdiana”, enquanto País independente.

Por outro lado, adiantou que a Cidade das Praia ganha um património com a assinatura de um “grande nome de arquitectura mundial”, o arquitecto Siza Vieira.

A obra foi construída à base de betão branco, um sistema que dispensa o uso exterior de pintura ou revestimento, aliando a função estrutural ao acabamento, sendo a mesma “única no País”.

Além da cave e do rés-do-chão, a infra-estrutura, que ocupa uma área de mais de 10 mil metros quadrados e custou cerca de dois milhões de contos,  possui seis pisos e um terraço, igualando, em altura, a sede do edifício da Assembleia Nacional.

Contempla soluções particulares de segurança hoje exigidas a qualquer Banco Central, além de outras valências, designadamente, um moderno e bem equipado Data Center.

O acto inaugural contou com a bênção do cardeal Dom Arlindo Furtado, bispo da diocese de Santiago.

MJB/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos