Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Nova medida administrativa descarta entrada no INPS de mais de 167 mil folhas de papel

Cidade da Praia, 02 Fev (Inforpress) – A nova medida administrativa dos Serviços da Protecção Social, a vigorar em Julho, vai evitar a entrada no INPS de mais de 167 mil folhas de papel para registo de salários, e diminuir o tempo de espera para lançamentos.

A informação foi avançada à imprensa pela presidente da comissão executiva do Instituto Nacional de Providência Social (INPS), Orlanda Ferreira, na Cidade da Praia, à margem da socialização das medidas de simplificação e modernização administrativa dos Serviços da Protecção Social, estabelecidas pelo decreto-lei 5/2021, de 15 de Janeiro.

“A partir de Julho 2021 vamos acabar com as folhas de papéis, o que será uma vantagem, pois, por ano recebemos, em papel, cerca de 167 mil folhas, que após todo o trabalho de materialização de registo do salário dos trabalhadores é enviado para os arquivos e 10 anos depois são destruídas”, declarou Orlanda Ferreira.

A mesma fonte realçou que desde 2010 a instituição vem desenvolvendo um conjunto de sistemas e soluções informáticas, visando prestar um serviço de “qualidade e eficiência” aos segurados e contribuinte.

Segundo aquela responsável, o INPS hoje assinala uma viragem na forma de atendimento público e no relacionado entre o instituto, o contribuinte e os segurados.

Conforme indicou, esta nova forma de trabalhar garante “maior segurança” no registo do salário dos trabalhadores, os quais, ao fim de 40 anos de trabalho, quando requererem a sua pensão, terão registado todo o seu processo e poderão acompanhar a sua carreira contributiva.

“O trabalhador poderá, sempre que necessário, e a partir desta ferramenta, saber junto do empregador se a sua contribuição está a ser entregue, se a declaração do salário que aufere está de acordo com o desconto feito”, observou, lembrando que estas medidas vão contribuir para ajudar o meio ambiente.

A presidente do INPS avançou ainda que vai haver um período “transitório de mudança” de seis meses, assim como um conjunto de procedimentos que passarão a ser possíveis para os segurados que, em vez de se dirigem aos balcões, poderão realizar os processos através do portal.

Lembrou, entretanto, que para fazer isso os segurados deverão estar registados no portal de forma a receberem um código com o qual deverão aceder aos documentos.

O portal do INPS foi lançado em 2019 e já inclui vários procedimentos que poderão ser cedidos e requeridos através do mesmo.

PC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos