Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Netanyahu diz que vai anexar grande parte da Cisjordânia até ao Verão

Jerusalém, 26 Abr (Inforpress) – O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, manifestou-se hoje confiante em poder anexar partes da Cisjordânia ocupada no próximo verão com o apoio dos Estados Unidos.

Numa mensagem gravada dirigida a apoiantes cristãos evangélicos de Israel, Netanyahu disse que o plano do Presidente norte-americano, Donald Trump, para o Médio Oriente prevê a anexação de colonatos israelitas, bem como o estratégico vale do Jordão, que passará para o controlo de Israel.

“Daqui a alguns meses estou confiante de que essa promessa será honrada, que podemos celebrar outro momento histórico”, disse Benjamin Netanyahu.

A anexação dos colonatos israelitas e do Vale do Jordão foi proposta no plano de paz apresentado pelo Presidente dos Estados Unidos em concertação com o primeiro-ministro israelita e rejeitado pelos palestinianos.

Os Estados Unidos são um forte aliado de Israel, e as relações reforçaram-se com a eleição de Donald Trump.

Todavia, o plano norte-americano invocado por Netanyahu não reconhece o direito de Israel a toda a Cisjordânia.

A mensagem de Netanyahu é divulgada a menos de uma semana da assinatura de um acordo em Israel para a formação de um governo de unidade nacional, entre Netanyahu e o centrista Beny Gantz, e que durante os próximos seis meses apenas poderá tomar medidas relacionadas com a luta contra o novo coronavirus e a anexação de territórios na Cisjordânia.

Cerca de 400.000 colonos judeus vivem actualmente nos colonatos da Cisjordânia ocupada, território onde vivem cerca de 2,7 milhões de palestinianos.

A colonização da Cisjordânia ocupada e a anexação de Jerusalém Oritenal por Israel tem sido promovida por todos os governos israelitas desde 1967, mas foi acelerada nos últimos anos sob o impulso de Benjamin Netanyahu.

Inforpress/Lusa/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos