Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Navio ESER de novo em concurso público para alienação

Cidade da Praia, 15 Set (Inforpress) – O Estado de Cabo Verde, através da Direcção Geral do Património e de Contratação Pública (DGPCP), volta a lançar concurso para alienação do navio ESER, arrestado em 2019 na maior apreensão de drogas de sempre no País.

Num anúncio publicado na edição de hoje do Jornal Expresso das Ilhas, a DGPCP justifica que esta que é a segunda alienação da embarcação se deve ao facto de o concorrente vencedor do primeiro concurso ter incumprido “em absoluto” as responsabilidades legais.

Na sequência, informou a mesma fonte, o concorrente vencedor foi posteriormente considerado como desistente e, em consequência, o concurso foi declarado anulado.

Assim como da primeira vez, esta segunda alienação por concurso público será mediante proposta em carta fechada, tendo como base de licitação 70 milhões de escudos cabo-verdianos.

Lê-se ainda no anúncio que o acto público de abertura das propostas acontece no dia 01 de Outubro de 2021, na sala de conferências do edifício do Ministério das Finanças, na cidade da Praia.

Para os interessados, o navio, que se encontra atracado no Porto da Praia, pode ser visitado no dia 23 de Setembro, das 09:00 até às 13:00, mediante marcação prévia com, pelo menos, um dia de antecedência.

O navio ESER foi surpreendido no porto da Praia no dia 31 de Janeiro de 2019 com dez toneladas de cocaína a bordo, quando fez uma escala técnica obrigatória para reportar o falecimento de um dos 13 tripulantes russos.

Foi a maior apreensão de estupefacientes em Cabo Verde, mas a operação foi toda ela monitorada pelo MAOC-CV, que forneceu os dados da embarcação com bandeira do Panamá que saíra daquele país da América latina com destino a Marrocos.

Os 12 russos foram detidos, mas outro deles morreu na cadeia de São Martinho.

Os onze restantes acabaram julgados e condenados a 10 e 12 anos de prisão e o ESER confiscado a favor do Estado, que viria a alienar a embarcação no início deste ano por 78 mil contos, a favor de Damião Barros, emigrante nos EUA, e representante de um grupo americano, mas o negócio não avançou.

O navio ESER tem 99,29 metros de comprimento, 14 de largura e dispõe de um porão corrido com capacidade para transportar 194.000 cbf de carga seca a granel/contentores. Foi construído em 1984 na Alemanha com motor principal da marca MWM em linha com seis cilindros.

GSF/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos