NASA divulga imagens inéditas de contacto do “Perseverance” com o solo de Marte

Cabo Canaveral, 19 Fev (Inforpress) – O mundo conseguiu ver hoje, pela primeira vez, uma aterragem em Marte através de uma fotografia divulgada pela NASA do momento em que o robô “Perseverance” pousou na superfície poeirenta do planeta.

A fotografia foi divulgada menos de 24 horas depois da chegada do “Perseverance” (“Perseverança”) a Marte, perto de um delta ancestral, onde vai procurar evidências de vida que possa ter existido no planeta, além da recolha de amostras de solo e de rochas que deverão chegar à Terra dentro de uma década.

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) equipou o veículo que viajou até Marte com 25 câmaras e dois microfones, que foram ligados enquanto atravessava a atmosfera do planeta.

O “Perseverance” é visto a pouco mais de dois metros do solo, a ser colocado com precisão na superfície do planeta por cabos ligados a uma grua no céu, com a poeira avermelhada a ser levantada pelos propulsores.

A NASA prometeu divulgar mais imagens durante os próximos dias, assim como o áudio registado da descida – algo que a equipa responsável por coordenar a operação esperava que já possível hoje.

O robô “Perseverance” aterrou na quinta-feira, pelas 20:56 de Lisboa, na superfície de Marte, para recolher amostras do solo e de outros elementos do planeta.

A aterragem de uma missão não tripulada da NASA, foi transmitida nas redes sociais Twitter e YouTube e também na página oficial da NASA na internet, desde as 19:15 em Lisboa.

As operações estiveram a ser coordenadas a partir do Laboratório de Propulsão a Jacto da NASA, em La Cañada Flintridge, na Califórnia (Estados Unidos).

O sinal proveniente de Marte demorou pouco mais de dez minutos a chegar à Terra, ou seja, quando a equipa responsável pela coordenação da aterragem do “Perseverance” recebeu a informação de que o robô tinha aterrado, o aparelho já estaria há vários minutos no solo.

A aterragem foi na cratera de Jezero.

A entrada na atmosfera de Marte ocorreu às 20:48 em Lisboa e foi o ponto sete de uma lista com mais de 35 requisitos imprescindíveis para que a aterragem ocorresse sem quaisquer problemas e que estava a ser monitorizada ao segundo.

A fase final do processo demorou cerca de sete minutos.

O momento da aterragem foi aplaudido pela equipa que dirigiu as operações.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos