Músicos profissionais vão marchar em silêncio este domingo em protesto à difícil situação por que passam

Cidade da Praia, 17 Out (Inforpress) – Músicos profissionais cabo-verdianos promovem este domingo uma marcha silenciosa que decorre, em simultâneo, em vários pontos do País, com o propósito de sensibilizar as autoridades para a situação “difícil e insustentável” por que passa a classe.

Fonte da organização que contactou hoje a Inforpress, disse que têm agendado para domingo, 18, Dia Nacional da Cultura (18 de Outubro), pelas 17 horas, uma manifestação silenciosa distanciada que ocorre em simultâneo em várias ilhas, nomeadamente Sal, Santiago, Santo Antão, São Vicente e Boa Vista.

O objectivo desta iniciativa, conforme a fonte da Inforpress, é “sensibilizar” as autoridades competentes para a situação “difícil e insustentável” vivida pela classe dos músicos e outros profissionais das Artes e Espectáculos no geral que, há cerca de oito meses se encontram no desemprego devido à pandemia da Covid.19.

Num comunicado, os artistas dizem que vivem uma “situação atípica”, causada pela pandemia, que obrigou ao encerramento das casas de cultura e de todos os espaços públicos, arrastando para o desemprego centenas de chefes de família, em todas as ilhas, que “vivem e sobrevivem” deste sector.

Deste modo, apelam às autoridades para a reabertura dos espaços culturais, para que a força de trabalho no sector artístico possa reaver a sua dignidade. Isto, claro, defendem, havendo o respeito pelas normas sanitárias impostas, e à semelhança de outros espaços públicos que já se encontram em funcionamento.

Conforme apurou a Inforpress, os artistas vão marchar em silêncio, “devidamente distanciados, usando máscaras faciais” e empunhando os seus instrumentos de trabalho, entenda-se, instrumentos musicais.

GSF/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos