Músico Zé Rui de Pina insta autoridades a darem a conhecer outras composições de Antero Simas 

Cidade da Praia, 28 Jun (Inforpress) – O músico Zé Rui de Pina defende que as composições de Antero Simas vão para além de “Doce Guerra” e insta as autoridades a darem a conhecer as outras letras do falecido autor, compositor e intérprete.

Antero Simas faleceu no passado dia 16, nos Estados Unidos da América, aos 69 anos, vítima de doença prolongada.

“As pessoas veem Antero Simas somente na música “Doce Guerra”, mas há muitas outras composições de grande qualidade da sua autoria que passam despercebidas, tal como a morna ‘Nha armun emigrante’ (Meu irmão emigrante)” exemplificou Zé Rui de Pina, em entrevista à Inforpress.

Para o músico da Achada de Santo António, “Doce Guerra”, que é “um hino”, foi   a composição que marcou e apontou ainda a morna em homenagem a Luís Rendall como uma das “obras-primas” de Antero Simas, que classificou de “um fenómeno” da música cabo-verdiana.

Por isso, Zé Rui Pina desafiou as autoridades culturais a criarem um “museu ou qualquer outra ferramenta de preservação cultural” para divulgar e estudar as composições de Antero Simas e de outros compositores cabo-verdianos.

“É uma pena Cabo Verde deixar esquecer composições de pessoas como Antero Simas, porque já não vamos ter compositores deste tipo”, lamentou.

Como forma   de o homenagear, um “amigo pessoal e conselheiro”, Zé Rui de Pina não descarta a possibilidade de fazê-lo “em música ou de uma outra forma”.

“Antero foi um amigo pessoal, um conselheiro, sempre que estou nos EUA ia o visitar, da última vez estivemos a tocar e cantar no quintal da filha Dora Simas”, lembrou Zé de Pina, para quem Antero Simas era um “compositor versátil” de mornas, coladeiras e funaná.

Antero Simas Correia e Silva nasceu na cidade da Praia a 07 de Outubro de 1952, mas viveu grande parte da sua vida na ilha do Sal e, ultimamente, por razões de saúde, encontrava-se nos Estados Unidos da América.

Em Abril, foi distinguido com o Prémio Carreira na primeira gala da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM).

O funeral vai ocorrer na Cidade da Praia em data ainda a indicar, soube a Inforpress junto de uma fonte familiar.

OM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos